São Paulo

Cotado para presidência do São Paulo, Marco Aurélio Cunha deixa Coordenação das seleções femininas da CBF

— Continua depois da publicidade —

Na noite desta terça-feira (02), a CBF anunciou a saída de Marco Aurélio Cunha, depois de cinco anos à frente do cargo de Coordenador de seleções femininas. De acordo com a CBF, a saída foi um acordo comum entre as partes. Segundo apurou o “GloboEsporte”, a saída seria motivada pela disputa da presidência do São Paulo.

Em janeiro, em uma entrevista para o site ESPN, Marco Aurélio revelou seu desejo em disputar as eleições presidências do São Paulo.

“Acho que teria essa chance. Não quero dizer isso competitivamente, estou falando em ideais. Se as pessoas têm ideais de mudanças, de melhorias, de conhecimento, experiência no futebol, maturidade. Então talvez eu esteja nesse momento. Isso me faz pensar nisso. E é claro que para passar por isso, tem que ter apoio.”, disse.

Segundo apurou a comentarista do canal SPORTV, Ana Thaís Matos, um grupo da CBF teria preferência para uma mulher ocupar o cargo vago. Segundo a jornalista, a representatividade ao lado da técnica Pia Sundhage é importante na avaliação da entidade.

Veja a nota completa

Após cinco anos, Marco Aurélio Cunha deixa a Coordenação das Seleções Brasileiras Femininas. A saída ocorre em comum acordo entre a CBF e o dirigente, que teve fundamental atuação na reestruturação e consolidação da Seleção e do futebol feminino no país.

Sob sua coordenação, as Seleções Femininas conquistaram títulos importantes. Pela Principal, ganhou a Medalha de Ouro nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015, o Torneio Internacional de Natal 2015, o Torneio Internacional de Manaus 2016, a Copa CFA da China 2017 e a Copa América do Chile 2018. Já pela Base foram outros cinco títulos: Sul-Americano Feminino Sub-20 2015, Sul-Americano Feminino Sub-20 2018, Sul-Americano Feminino Sub-17 2018, BRICS Games Sub-17 2018 e Liga Sul-Americana Feminina Sub-19 2019

O Marco Aurélio fez um trabalho admirável no desenvolvimento do futebol feminino, que hoje é uma prioridade dentro da CBF. Fui testemunha de sua competência, dedicação e do seu comprometimento ao longo desses anos de convivência. Sabemos que o Marco tem outros projetos e entendemos conjuntamente que havia chegado o momento dele sair. Fica o meu agradecimento, com a certeza de que suas qualidades pessoais e profissionais ficarão marcadas na Seleção Brasileira Feminina – afirma Rogério Caboclo, Presidente da CBF.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo