Copa do Mundo - Qatar 2022

Diego Alonso, do Uruguai, garante: ‘Não existem intocáveis aqui’

Foto: PABLO PORCIUNCULA/AFP via Getty Images

O Uruguai está em busca de sua primeira vitória na Copa do Mundo do Qatar depois de ter tropeçado na estreia, durante o empate sem gols com a Coreia do Sul. No entanto, o confronto desta vez tende a ser mais difícil e a equipe sul-americana vai medir forças contra Portugal. O Uruguai poderá apresentar muitas mudanças com relação à estreia e o técnico Diego Alonso garantiu que não existem jogadores que não possam ser substituídos.

                 

— Não existem intocáveis aqui. Acho que nesses onze meses em que estou como treinador do Uruguai, mostrei isso e o que considero como time ideal. O que eu sempre garanto é que aqueles que vejo em melhores condições, vão jogar. É minha função pode dar condições para que os jogadores evoluam e mostrem do que são capazes. Assim eu tomo as decisões e defino aqueles que vão jogar — afirmou Diego Alonso.

Para saber tudo sobre a Copa do Mundo Qatar 2022, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

O Uruguai precisa vencer Portugal para se colocar em boas condições de brigar por classificação na útlima rodada, quando vai enfrentar a seleção de Gana. Por conta disso, o técnico Diego Alonso sabe que a sua equipe precisa melhorar o rendimento que apresentou na estreia da Copa do Mundo e principalmente corrigir alguns aspectos.

O mais importante foi o resultado, o que vamos buscar é o resultado. Para ir em busca disso, precisamos que o processo da partida seja o mais favorável para nós. Temos que melhorar alguns mecanismos que não conseguimos fazer nessa partida, que é a velocidade, a circulação da bola e extrair as vantagens que temos dentro ou fora — destacou Alonso.

O jogo entre Uruguai e Portugal vai acontecer nesta segunda-feira (28), às 16hs (de Brasília), no Lusail Stadium. O outro jogo do grupo H envolve Coreia do Sul e Gana, que também se enfrentam nesta segunda-feira (28), mas às 10hs (de Brasília), no Estádio Cidade da Educação.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo