Mais Esportes

Sérvia e Turquia se reencontram na final do Campeonato Europeu após 4 anos

Turquia e Sérvia vão reeditar a final do Europeu de 2019 nesse domingo (03)
Foto: Divulgação/CEV

Turquia e Sérvia vão reeditar a final do Campeonato Europeu de 2019 nesse domingo (03), às 15h, pelo horário de Brasília-DF. Na ocasião, as sérvias eram comandadas por Zoran Terzic e foram bicampeãs europeias com Boskovic como grande destaque da campanha, ficando com o MVP da competição. Dessa vez, a Sérvia é comandada justamente pelo comandante do rival naquela decisão de título, Giovanni Guidetti. Por sua vez, as turcas chegam na final embaladas pelo título inédito da Liga das Nações (VNL) sob o comando de Danielle Santarelli, que comandou as sérvias no bicampeonato mundial no ano passado.

                 

Nessa edição do Campeonato Europeu, Sérvia e Turquia eliminaram Holanda e Itália, respectivamente, na semifinal para chegar na grande decisão. As sérvias levaram um susto ao perderem o segundo set da semifinal para a Holanda por 25-15 e levarem o empate das rivais, mas com Boskovic inspirada, conseguiram fechar a partida em 3 sets a 1 (25-21, 15-25, 25-22 e 25-21), com 29 pontos da oposta. Já as turcas tiveram mais dificuldade para derrotar a atual campeã europeia Itália e venceram apenas no tie-break (18-25, 25-23, 15-25, 25-22, 15-6), em um jogo equilibrado que contou com muitos erros do lado italiano e participação decisiva de Melissa Vargas pelo lado turco.

PARA SABER TUDO SOBRE O BRASIL NO SUL-AMERICANO DE VÔLEI, SIGA O ESPORTE NEWS MUNDO NO FACEBOOKTWITTERYOUTUBEINSTAGRAMTHREADSKOO E TIKTOK

Em 2019, ainda sob o comando de Guidetti, a Turquia ainda não podia contar com a cubana Melissa Vargas que estava aguardando os trâmites da naturalização turca e jogou com Ebrar Karakurt na saída de rede e Baladin e Ismailoglu dividindo a entrada de rede. Outra mudança importante que deu mais volume de jogo ao time turco foi o retorno da líbero Örge, que não vinha sendo aproveitada pelo italiano na seleção. Santarelli mudou ainda o estilo de jogo do antecessor e apostou em duas opostas de ofício jogando juntos, sacrificando Karakurt na entrada e deixando a responsabilidade maior de virada de bola com Vargas na saída.

+ Renan tenta explicar nova derrota da Seleção no seu comando e prioriza Pré-Olímpico

Já a Sérvia que está no segundo treinador desde a saída de Terzic em 2022, conta com o retorno da experiente Maja Ognjenovic e além de Boskovic na saída de rede, agora tem uma nova atacante promissora surgindo, a ponteira do Fluminense, Uzelac. Porém, Guidetti tem alternado Uzelac com Sara Lozo, que é oposta de origem, no time titular nesse Europeu, tendo apenas Busa como jogadora de confiança na posição. Guidetti ainda conta com uma marcação de bloqueio pesada com Stevanovic e Aleksic fazendo o meio-de-rede.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo