América-MG

América encerra o Brasileirão com mais uma marca negativa; confira

Foto: Mourão Panda / América

O revés diante dos goianos decretou o Coelho como o pior visitante do Campeonato Brasileiro de 2023.

Foto: Mourão Panda / América

O América perdeu para o Goiás, por 1×0, no Estádio Hailé Pinheiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro 2023, realizada nesta quarta-feira (6). Com a derrota, o time mineiro chegou a mais uma marca negativa na temporada.

                 

O revés diante dos goianos decretou o Coelho como o pior visitante do Campeonato Brasileiro de 2023, com doze derrotas e sete empates em 19 partidas, somando sete pontos. Sem vencer nenhum jogo, o América voltou a fazer uma campanha sem triunfos como visitante. A primeira ocorreu em 2016, quando o Coelho acabou o campeonato daquele ano com quatro empates e quinze derrotas, tendo somado quatro pontos fora de seus domínios.

A campanha, no entanto, não é a pior da história do Brasileiro por pontos corridos. Os donos das piores marcas como visitante são: América (2016) e Paraná Clube (2018). A equipe paranaense juntamente do Coelho somou apenas quatro pontos em 19 jogos, porém, diferente do time mineiro, o Paraná venceu uma de suas partidas fora de casa.

Além da marca de “pior visitante do campeonato”, o Coelho alcançou outro feito negativo após a derrota para o Goiás: pior defesa da história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos. É bem verdade que já na última rodada, quando o América sofreu dois gols do Bahia, o time mineiro alcançou esta marca, mas agora é de forma isolada. Com 81 gols sofridos em 38 jogos, o Coelho passou o América-RN, que liderava o ranking de piores defesas do Brasileirão por pontos corridos desde 2007, quando sofreu 80 gols em 38 partidas.

As marcas negativas são frutos de uma temporada desastrosa para o clube alviverde, que já iniciou seu planejamento para a temporada 2024 buscando retornar à elite do Brasileirão o quanto antes.

Para saber mais sobre o Américasiga o Esporte News Mundo no Instagram, Twitter e Facebook.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo