Lutas

Borrachinha diz que ‘ressaca’ influiu em derrota para Adesanya no UFC 253

Borrachinha Adesanya
Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Após perder para Israel Adesanya a chance de ser campeão dos médios do UFC, Paulo Borrachinha justificou a má atuação diante do nigeriano como reflexo de que ‘algo’ havia acontecido. E apenas agora a explicação sobre tal ‘algo’ saiu da boca do brasileiro.

O mineiro usou seu canal no Youtube para falar abertamente pela primeira vez sobre o motivo da criticada atuação, até por Dana White, contra o nigeriano. O mineiro admitiu que lutou sobe efeito de ‘ressaca’ por ter tomado uma garrafa de vinho na madrugada anterior para tentar curar a insônia.

— Eu lutei de ressaca, meio que bêbado. Não conseguia dormir por causa das cãibras. Até 2h30 do dia da luta eu não tinha dormido e o UFC queria que a gente acordasse às 5h porque as lutas eram às 9h. Eu precisava dormir, estava mais de 24h acordado tomei muito vinho. Uma garrafa, para tentar ‘apagar’. Tomei um copo e não deu certo, dois copos e também não deu certo. Meia garrafa ainda menos. Aí, eu decidi virar – disse Borrachinha.

— Foi uma sensação diferente. Toda luta minha, entro muito ativo e até com algum medo, com receio de ser golpeado. Nessa luta, eu entrei sonolento, sem nenhuma preocupação. Nenhuma. Foi estranho, não senti nada de angústia ou agonia. Tive muita serenidade e isso até me assustou. Naquela luta contra o Adesanya eu estava entre 10% e 20% da minha capacidade. Hoje, a gente pode dizer que é erro, mas é fácil falar. O certo era a luta não ter acontecido – completou.

As condições descritas por Borrachinha e que, em sua visão, teriam influído na derrota fazem com que o brasileiro queira a revanche com o campeão dos médios. Nela, julgará que estará em melhores condições para bater o nigeriano

— Se eu tivesse perdido em condições melhores, talvez eu ficasse mais abatido. Mas por eu ter perdido para o Adesanya assim, estou ansioso para lutar com ele novamente. Mas lutar de forma real, agressiva, como eu tenho certeza de que ele vai ter problemas. Ele vai se complicar. Ele se complica quando se encurta a distância. Ele respeita muito esse poder de nocaute, ele sabe que ele tem uma fragilidade, não consegue absorver tantos golpes. Por isso que ele corre tanto. Na luta comigo, ele respeitou a distância, mesmo comigo estático. Na minha próxima luta, vai ser diferente – disse.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top