Fluminense

Calegari tem lesão detectada e negociação por compra será rediscutida

Emprestado pelo Fluminense e titular do LA Galaxy, o lateral Lucas Calegari rompeu ligamentos do joelho e tem situação indefinida na MLS

Foto: Lucas Merçon

Emprestado pelo Fluminense e titular do LA Galaxy, o lateral Lucas Calegari rompeu ligamentos do joelho e tem situação indefinida na MLS

                 

Titular absoluto do 13º colocado da Conferência Oeste da liga nacional dos Estados Unidos, o jovem lateral direito Calegari sofreu uma séria lesão no joelho, constatada nesta quarta-feira após exames. A contusão ocorreu no dia 2 de setembro em jogo contra o Houston Dynamo e pode atrapalhar os planos do Fluminense em vender o jogador e fazer caixa ao fim do ano.

+ Em momento decisivo da temporada, Diniz pode ter todo o elenco à disposição

Muito querido por torcedores do LA Galaxy, Calegari foi classificado como “um jogador muito mais completo do que o que tinham anteriormente na posição”. A negociação caminhava para um desfecho positivo para os americanos, que tinham quase certa a compra em definitivo do lateral, mas a lesão sofrida pode ser um empecilho.

Siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

A recuperação de Calegari será acompanhada de perto tanto pelo Fluminense, quanto pelo LA Galaxy, que precisará definir a situação do jogador que está cedido por empréstimo apenas até o final de 2023. Vale destacar que o tricolor é detentor de 90% dos direitos econômicos do lateral e tem contrato até o fim de 2025; a opção de compra para os americanos é de 2 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões).

Pelo LA Galaxy, Calegari esteve disponível em 22 jogos e foi titular em todos eles. Além disso, tem uma assistência anotada e era peça fundamental no elenco, tanto que não havia sequer disputa por posição antes da lesão no joelho. O Fluminense espera que o time norte-americano exerça a compra em definitivo para fazer caixa no fim do ano, além, claro, das vendas que serão feitas na janela de inverno da Europa.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo