Futebol Internacional

Dani Alves presta depoimento, chora e diz que não forçou relação sexual

Dani Alves chegou a chorar durante depoimento (Foto: ALBERTO ESTEVEZALBERTO ESTEVEZ/POOL/AFP via Getty Images)

Ex-jogador falou pela primeira vez na terceira audiência sobre o caso de estupro.

Foto: ALBERTO ESTEVEZALBERTO ESTEVEZ/POOL/AFP via Getty Images

O ex-jogador Daniel Alves prestou depoimento, nesta quarta-feira (07), para falar sobre a acusação de estupro contra uma jovem, ocorrido no dia 30 de dezembro de 2022. Durante a sua fala, Dani Alves chorou, afirmou ter bebido além da conta e garantiu não ter forçado relações com a vítima. Esta foi a última das três audiências sobre o caso.

                 

Ao prestar depoimento, o ex-jogador fez uma cronologia dos fatos e afirmou que o fato de reencontrar amigos o fez beber bastante. Pouco depois, Dani Alves e os amigos foram até a boate aonde teria acontecido o estupro da jovem.

Siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitter, e Facebook

— Sai com meus amigos para comer juntos. Fazia muito tempo que não nos víamos então ficamos mais tempo. Pedimos cinco garrafas de vinho, um uísque, um saquê. Depois de sair do restaurante, fomos direto ao bar. Quando saímos dalí, nós fomos ao Sutton. Eu e Bruno seguimos, os outros foram para casa — disse o ex-jogador, que também relatou o momento em que conheceu a jovem.

— Entre 2 a 3 da manhã eu entrei na discoteca e os funcionários me levaram para a reserva da mesa 6. Depois pedi para trocar para a 7 porque a 6 estava longe da pista de dança. Quando chegamos na sala reservada, estavam duas meninas lá e ficaram por um tempo. Dançávamos bem próximos, de forma respeitosa. Acho que elas sabiam quem era eu, porque mais de uma vez me pediram para tirar foto — comentou Dani Alves.

Neste momento do julgamento, o ex-jogador começou a chorar e falou propriamente do ato sexual. De acordo com Daniel Alves, em nenhum momento ele teria forçado uma relação com a vítima.

— Ficamos dançando por um tempo e começamos a dançar mais próximo, ela começou a roçar suas partes nas minhas. Coloquei a mão e quando começou a pressão sexual, falei para ir ao banheiro. Ela não falou nada. Quando fui ao banheiro, disse a ela que iria primeiro. Achei que ela não viria — disse Dani Alves, antes de completar.

— Baixei as calças, sentei no vaso sanitário, ela se ajoelhou e começou a me fazer sexo oral. Ela estava na minha frente e começamos a relação. Lembro que ela sentou em mim. Não sou um homem violento. Não a forcei a praticar sexo oral forçadamente. Ela não me disse nada. Estávamos desfrutando os dois e nada mais — concluiu.

O julgamento de Daniel Alves pelo caso de estupro se encerra nesta quarta-feira, mas ainda não existe uma previsão de quando a justiça espanhola vai divulgar a sentença do ex-jogador.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo