Campeonato Brasileiro

Flamengo e Inter: As coincidências que envolvem os candidatos ao título brasileiro 2020

(Fotos: Buda Mendes/Getty Images e Silvio Avila/Getty Images)

Por: Ana Beatriz Zayat e Lucas Mello

Início da temporada: técnicos estrangeiros

Flamengo
O infatigável Flamengo de Jorge Jesus deixou marcas revolucionárias no futebol brasileiro e abriu caminhos para o investimento em novos comandos estrangeiros, casos como o de Coudet, no Internacional, e de Domènec Torrent, na Gávea.

Em julho de 2020, dias após o doloroso adeus ao Mister, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, se jogou na complexa missão de encontrar um substituto à altura daquele que foi o responsável pelo trabalho mais vitorioso dos últimos 38 anos da Gávea. O tour pela Europa resultou na contratação de Domènec Torrent, ex-auxiliar e nome de confiança de Pepe Guardiola.

O catalão se apresentou ao Mais Querido no dia 31 de julho e fez sua estreia nove dias depois, na derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG, pela 1ª rodada do Brasileirão. A vitória, porém, só aconteceu em sua terceira partida, dia 12 de agosto, contra o Coritiba, no Couto Pereira.

Internacional
Disposto a mudar a filosofia de jogo no clube, a direção colorada escolheu Eduardo Coudet para ser o técnico do Inter em 2020. Sob o comando do argentino, o Colorado teve duas marcas negativas, como a terceira colocação do Gauchão e a marca de seis Gre-Nais sem vencer na temporada — com quatro derrotas e dois empates.

Por outro lado, boas atuações seguidas de bons resultados apareceram e o trabalho de ‘Chacho’ foi bem avaliado internamente e pela torcida no Beira-Rio. Com a intensidade e marcação alta característica, o Internacional chegou à liderança do Brasileirão, nas quartas de final da Copa do Brasil e oitavas de final da Libertadores.

9 de novembro: A queda dos técnicos

Flamengo
Desaprovado principalmente pela instabilidade dos resultados, Dome comandou o Flamengo por 23 jogos antes de ser demitido no dia 09 de novembro – mesma data da saída de Eduardo Coudet. O catalão deixou o clube com um aproveitamento de 57% (13v/4e/6d), classificado para às quartas de final da Copa do Brasil e oitavas de final da Libertadores.

Internacional
O trabalho de Coudet, mesmo que com alguns percalços, estava indo muito bem obrigado. Porém, após entrevistas e desentendimentos internos, a relação entre o treinador e a diretoria estremeceu, chegando ao ponto do treinador pedir sua demissão, após receber uma proposta do Celta de Vigo, da Espanha, no dia 9 de novembro de 2020. A passagem de Coudet, pelo Beira-Rio, tinha chegado ao fim.

10 de novembro: Chegada dos brasileiros

O fim da linha para Domènec Torrent, no Flamengo, e Eduardo Coudet, no Internacional, representa o início de duas eras bem semelhantes entre os ‘finalistas’ do Brasileirão. Ambos optaram pela segurança de nomes já reconhecidos nacionalmente. De um lado, Abel Braga, ídolo entre os colorados. Do outro, Rogério Ceni.

Flamengo
Assim como fez o Internacional, o Flamengo agiu rápido na escolha do sucessor e levou apenas 24 horas para oficializar a chegada de Rogério Ceni. A pressa se dava por razões óbvias: era véspera de decisão na Gávea.

Internacional
Em meio a uma temporada atípica e próximo de uma eleição presidencial, a direção colorada optou por apostar num velho conhecido do torcedor do Inter: Abel Braga. O técnico responsável pelas maiores alegrias do clube: a Libertadores e o Mundial de Clubes, ambos em 2006. Abel chegava para a sétima passagem pelo Beira-Rio.

Quartas de final (Copa do Brasil) e oitavas (Libertadores)

Abel Braga e Rogério Ceni fazem suas estreias na mesma data (11/11), fase e competição. Ambos caem nas quartas de final da Copa do Brasil e se despedem da Libertadores nas oitavas, após serem derrotados nos pênaltis.

Flamengo
Sem tempo suficiente de realizar um treinamento completo, Ceni estreou um dia após sua apresentação, com derrota por 2 a 1 para o São Paulo, no Maracanã, pela 1ª partida das quartas de final da Copa do Brasil. Na volta, a eliminação por 5 a 1 no agregado já trouxe questionamentos sobre o futuro do comandante no clube.

No mesmo mês, 14 dias após sua chegada, Rogério se preparava para o maior desafio de sua carreira como treinador: levar o Flamengo, campeão continental à época, às quartas de final da Libertadores. Com 4 jogos e apenas uma vitória, o técnico acumulou mais dois empates diante do fragilizado Racing e foi eliminado após ser derrotado nos pênaltis em pleno Rio de Janeiro.

Internacional
Abel Braga foi apresentado numa terça-feira e quarta-feira já estava na beira do campo para comandar o Internacional diante do América-MG, na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

O início do novo treinador não foi nada animador, muito pelo contrário. Abel saiu derrotado pelo Coelho por 1 a 0, no Beira-Rio, e, na semana seguinte, mesmo após vencer no tempo normal, foi eliminado nos pênaltis por 6 a 5, no Independência, em Belo Horizonte.

A segunda eliminação viria 21 dias depois, também nas cobranças de pênalti. O adversário nas oitavas de final da Libertadores foi o Boca Juniors. No Beira-Rio, após erro de Uendel e Zé Gabriel, Tevez colocou os Xeneizes com vantagem para o jogo da volta, em La Bombonera.

Uma semana depois, em Buenos Aires, a partida que mudou os rumos da temporada colorada. Com grande atuação, o Inter devolveu o placar de 1 a 0 e a decisão foi para os pênaltis. Mesmo com a derrota por 5 a 4, aquele jogo serviu como modelo para o Colorado renascer na sequência do Brasileirão.

Recuperação no Brasileirão

Flamengo
Longe ainda de implementar tudo o que sabe, Rogério Ceni aproveitou os raros espaços livres no calendário para executar mudanças ousadas no esquema tático rubro-negro. Muito questionado, insistiu com o Arão improvisado na zaga e trouxe Diego Ribas de volta aos titulares. Foi com essa formação que o Flamengo adquiriu seus melhores resultados e se manteve na cola do líder nesta reta final. Já são quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos.

De novembro para cá, Ceni comandou o Flamengo em 20 oportunidades e somou 10 vitórias, cinco empates e cinco derrotas (50% de aproveitamento)

Internacional
O Inter, por sua vez, encarreirou nove vitórias consecutivas, a maior sequência na história do Campeonato Brasileiro de pontos corridos com 20 clubes, e saiu do sétimo lugar para assumir a liderança da competição na 31ª rodada.

Nessa sequência, duas partidas foram emblemáticas. Primeiro, a goleada por 5 a 1, contra o São Paulo, no Morumbi. Na rodada seguinte, o Colorado quebrou o jejum de 11 Gre-Nais sem vitória e derrotou o Grêmio com uma virada heroica nos acréscimos por 2 a 1.

Final Antecipada e mesmo número de vitórias

Para o confronto deste domingo (21), às 16h, no Maracanã, Flamengo e Inter chegam com uma diferença de apenas um ponto na tabela de classificação. Os gaúchos estão com 69 pontos, enquanto os cariocas somam 68 pontos. Ambos estão com o mesmo número de vitórias: 20.

Com 65 gols (média 1,81), o Flamengo é o melhor ataque do Campeonato, são 33 no Maracanã e 32 como visitante. Seguido pelo Internacional, com 60 tentos (média 1,67) – 34 só no Beira-Rio.

O Internacional pode sagrar-se tetracampeão brasileiro em caso de vitória no Rio de Janeiro. Já o Rubro-Negro precisa de uma vitória para assumir a ponta e levar a decisão para a última rodada. Um empate mantém a diferença de um ponto, com a vantagem do Colorado dependendo apenas de si na 38ª rodada.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.



Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top