Olimpíadas

Pedro Barros conquista terceira prata do Brasil no skate olímpico

Foto: Gaspar Nóbrega/COB

O Brasil conseguiu a sua 3ª medalha de prata nas competições olímpicas de skate: Pedro Barros conseguiu uma nota 86.14, logo na sua 1ª volta e garantiu mais uma prata para o Brasil. O australiano Keegan Palmer, de apenas 18 anos, fez duas voltas absurdas, somando 94.04 e 95.83, conquistando o ouro com sobras. O norte-americano Cory Juneau completou o pódio.

O medalhista Pedro Barros falou emocionado sobre a sua trajetória e tudo o que o skate na Olimpíada representa.

A gente vem lutando a nossa vida inteira e sempre foi rodeado disso aqui, pessoas maravilhosas, pessoas que lutaram muito pra fazer da minha vida uma vida melhor. Às vezes o Brasil ele pode tá visto de cabeça pra baixo, mas essa história do Park, o skate nas Olimpíadas, a minha história, eu acho que é só pra servir de exemplo pro povo brasileiro, que tá na nossa mão, depende da gente realmente pra construir e pra fazer desse lugar, que é nosso país, é tão lindo por natureza, um lugar melhor. Com amor, com união, com respeito, a gente consegue, sabe? Pode ser difícil, às vezes a batalha pode ser dura, a gente cai várias vezes no chão, mas a missão é essa. A missão é ver um amanhã melhor. É buscar um amanhã melhor e é pra isso que a gente tá aqui c***

Os brasileiros chegaram com grande expectativa no Skate Park e viram favoritos, como o líder do ranking mundial, Heymana Reynolds, e o vice-líder, Zion Wright, eliminados ainda na primeira bateria da competição.

Luizinho, 3º colocado do ranking mundial, chegou na final com a melhor volta das eliminatórias, um 84.31, mas viu a sua marca ser destruída logo na primeira volta de Keegan Palmer, da Austrália, que conseguiu um 94.04. Depois dessa volta do australiano, que foi o 4º a se apresentar, Pedro Barros, que está logo atrás de Luizinho no ranking, assumiu a vice-liderança com 86.14 e também não foi alcançado.

Pedro Quintas, 10º no ranking mundial, não conseguiu uma volta limpa na final e ficou na 8ª colocação, enquanto Keegan Palmer conseguiu o que parecia impossível, aumentou a própria nota na sua última volta.

Luizinho bem que tentou buscar a medalha e teve uma volta impressionante, mas caiu na última manobra. A volta era tão forte, que mesmo com a queda, o brasileiro fez mais de 80 pontos. Na última volta, ele repetiu a linha da classificatória, mas não finalizou com perfeição a última manobra e teve uma nota um pouco menor, 83.14, insuficiente para o bronze.

Com a medalha de Pedro Barros, o Brasil agora tem 4 ouros, 4 pratas e 8 bronzes na Olimpíada e com as medalhas já garantidas do boxe e do futebol, precisa de apenas mais um pódio para igualar o total de medalhas conquistadas no Rio de Janeiro, em 2016.

1ª Volta

Cory Juneau, dos Estados Unidos, que conseguiu se classificar na última volta, por décimos de diferença, começou a final colocando pressão, com uma postura totalmente diferente das eliminatórias, mandando 540º, frontside flip sem as mãos e finalizando com um blunt, atingindo a nota 82.15.

Na sequência o francês Vincent Matheu e Steven Piniero, de Porto Rico, erraram no início das suas voltas. O australiano Keegan Palmer começou forte, mandando flip indy e 540º logo no início da volta e mandando mais um flip indy, outro 540º e completando as transições com slides e grinds e finalizando com um 360º, assumindo a ponta com uma nota 94.04.

Pedro Barros foi o primeiro brasileiro na pista começou com um 540º tailfish muito alto, mas era só o começo, ele mandou mais dois 540º na volta, flip e grinds usando toda a extensão da pista, melhorando a sua nota da eliminatória, com 86.14.

Na sequência, o xará Pedro Quintas começou a sua volta de boardslide, assim como na eliminatória, mas errou o varial flip, que também iniciou sua linha na classificatória. O australiano Kieran Woodley também errou no início da sua volta inicial.

Luizinho, líder da eliminatória, começou a sua volta com força. Flip melon sobre o obstáculo, 540º indy muito alto e até uma cena curiosa, a recuperação de um heelflip que não girou, com uma grande volta para o brasileiro, que atingiu a nota 80.24.

Ao fim da primeira rodada, Keegan Palmer liderava, Pedro Barros estava na 2ª colocação e o americano Cory Juneau estava na 3ª colocação, posições que se mantiveram até o final da competição.

2ª Volta

Novamente Cory Juneau abriu a série, acertando um belo flip de frontside, com vários grinds de transição e acrescentando um flip a mais, em relação a sua volta anterior, aumentando sua nota para 84.13.

O francês Vincent Matheu novamente errou o nosegrind no início da sua volta e acabou tendo uma nota baixa. O porto-riquenho Steven Piniero voltou com tudo para sua segunda tentativa, mandando um flip logo no início e um aéreo caindo de disaster na pista, que é cair com o meio do skate na boda, ele ainda mandou dois 540º na sua linha, que levaram a sua nota para 75.17.

O líder da prova Keegan Palmer não tinha muita margem para melhorar sua incrível nota e arriscou tudo logo na primeira manobra, jogando um flip 540º, mas não conseguiu completar.

Na sequência, o brasileiro Pedro Barros voltou à pista e já abriu com um 540º tailfish e um flip, conectou os grinds e mandou mais um 540º e um nosegrind na ilha, mas tentou um flip 360 sobre o vulcão e não completou. A volta era tão forte, que ainda assim a nota foi acima de 73.

Pedro Quintas também voltou para sua segunda tentativa e começou a linha com um boardslide e um varial flip, dessa vez encaixando tudo, no entanto, conectando um tailslide, o skate correu demais e o brasileiro acabou caindo.

Foi a vez do vice-líder da eliminatória Kieran Woodley, que já iniciou com um flip indy, um indy air e um boneless muito alto. Ele conectou um alley oop e um varial flip na sequência, em uma volta muito forte, conseguindo sua primeira nota boa da final, um 82.04, que levou o australiano para a 4ª colocação.

Luizinho veio para encerrar a sessão, começando um um aéreo e um flip 360º sobre o vulcão e mandou mais três flips incríveis ao longo do percurso, dois deles em sequência, mas na última manobra, um 540º, acabou se desequilibrando na aterrissagem. Mesmo com a queda, a nota do brasileiro foi alta, 80.62, caso completasse o 540º, teria entrado no pódio.

3ª Volta

Cory Juneau, que estava na 3ª colocação, errou logo no início da sua última volta e ficou no aguardo das tentativas dos seus adversários para comemorar a medalha.

Vicent Matheu, que havia errado nas suas duas voltas anteriores, dessa vez acertou o nosegrind, mas acabou caindo no final da sua tentativa e não conseguiu uma boa nota, ficando em 7º lugar. Foi a vez de Steven Piniero tentar aumentar a sua nota e pra isso ele já começou com um heelflip, mandou um alley oop indy air, seguido de um 540º, conectou os grinds e mandou outro 540º na extensão e finalizou com outro alley oop, mas não melhorou a avaliação.

O líder então veio para tentar o milagre de aumentar a própria nota. Keegan Palmer conseguiu mais uma volta perfeita, com diversos aéreos, mais manobras de giro, e conseguiu o que parecia impossível: aumentou sua nota para 95.83, se distanciando mais na liderança.

Pedro Barros, 2º colocado, veio pra sua última volta, abriu com um 540º, um flip, mas o skate escapou em um aéreo varando a plataforma e manteve a nota da sua volta inicial. Pedro Quintas veio pressionado para conseguir uma volta limpa, entrou de boardslide, mandou um varial flip, conectou os grinds, mas na hora de passar o vulcão de flip indy, o skate escapou e ele não conseguiu uma boa nota, ficando na 8ª colocação.

Kieron Woodley veio para a penúltima apresentação, mas errou logo na sua primeira manobra. Com isso, Pedro Barros garantiu o pódio e o Brasil garantiu ao menos a sua 3ª medalha de prata no skate olímpico.

Luizinho veio para fechar a competição precisando de 84.13 para subir ao pódio e quase conseguiu com uma volta perfeita. Ele repetiu a linha que rendeu 84.38 nas eliminatórias com um 540º na sua última manobra, comemorando muito e chutando o capacete para longe. Com a volta, ele chegou em 83.14 e ficou em 4º lugar.

Classificação Final

1º – Keegan Palmer (AUS) – 95.83
2º – Pedro Barros (BRA) – 86.14
3º – Cory Juneau (EUA) – 84.13
4º – Luizinho (BRA) – 83.14
5º – Kieron Woodley (AUS) – 82.04
6º – Steven Piniero (PRC) – 75.17
7º – Vincent Matheu (FRA) – 42.33
8º – Pedro Quintas (BRA) – 38.47

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top