Red Bull Bragantino

Red Bull Bragantino: Confira situações de Pedro Caixinha e Léo Ortiz e mais

Pedro Caixinha, treinador do Red Bull Bragantino. (Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino)
(Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino)

O Red Bull Bragantino vem de uma vitória importante em cima do Coritiba, no último domingo, pelo placar de 1 a 0, no Nabi Abi Chedid, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe vinha de uma sequência negativa na competição.

                 

E na última segunda-feira, o diretor esportivo do Red Bull Bragantino, Diego Cerri, comentou que o clube tem trabalhado para prorrogar o contrato do técnico Pedro caixinha até 2025. vale lembrar que o vínculo com o treinador português vai até o ano que vem, mas pelo trabalho e o bom desempenho, intenção do clube é estender o contrato.

– Ele já tem contrato até 2024. Estamos satisfeitos com o trabalho e ele está satisfeito aqui. Estamos tratando de uma extensão para 2025. Temos aproveitado e feito esse balanço do trabalho, o que temos que focar para o ano que vem, o que fizemos de bom. Temos feito tudo em conjunto. Estamos conversando faz um tempo e estamos nas tratativas para ampliar o contrato. Isso cria uma estabilidade para todos – comentou o diretor do Red Bull Bragantino em entrevista coletiva.

Além disso, outro assunto que foi comentado foi sobre a questão do zagueiro Leo Ortiz e também do lateral-esquerdo Juninho capixaba. os zagueiro está na mira do Flamengo e o lateral quase deixou o time no meio da temporada.

– O que teve mesmo de concreto foi do Juninho Capixaba. Era uma situação para a Rússia. A negociação não foi concluída. Desde então, não tem nada concreto de fato. O que tem muito, não só para esses jogadores, mas para outros também, é que o mercado está num momento de especulação. Não é a janela mais forte para o exterior. A mais forte para lá é no meio do ano. Mas não teve nada concreto. Por ser uma equipe com muitos jogadores jovens, eles chamam atenção, quando a equipe vai bem. Normalmente, você tem especulação. Isso é fato. Mas não tem nada concreto hoje – explicou.

Confira outros respostas do diretor esportivo do Red Bull Bragantino:

1) A logística para disputa da pré-Libertadores

– Em relação à pré-Liberadores, eu preferia estar na fase de grupo, lógico. Ela dá um conforto maior em termos de calendário. A pré-Libertadores traz mata-matas dificílimos, que tem que avançar para fase de grupos. Não influencia na questão de contratações. A questão é acelerar processos de treinamentos, deixar em estágio competitivo muito bom em semanas para os jogos decisivos. A equipe tem que acelerar muito. Temos que ser cirúrgicos no planejamento. Acho que esse é o principal ponto.

A classificação entre quinto e sexto lugar, influência diretamente no planeamento. Vamos ter uma sobrecarga grande. Não é só física, inclusive emocional. Quando se disputa jogos importantes seguidamente, eleva uma sobrecarga. Temos que cuidar disso. Tenho conversado com isso com o Caixinha e a comissão. Não podemos esgotar os atletas no início do ano. Temos que dar oportunidades para todos, equilibrar. O calendário no Brasil é muito claro para todos, nos força a jogar uma quantidade enorme de jogos. Temos essa situação e precisamos ser práticos. Não podemos esgotar os atletas e temos que chegar com combustível no Brasileiro. É dar minutagem para os atletas, dar descanso e, ainda assim, manter a performance. Não é fácil, mas vamos trabalhar para isso.

+ Para saber tudo sobre o Red Bull Bragantino, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

2) Sobre contratações

– Sobre contratações, não serão muitas temos. Temos um elenco formado. Estamos avaliando, conversando todos os dias para o que podemos fazer para acrescentar. Mas o elenco já tem uma base bem montada. A base vai continuar.

3) Contratação de atletas experientes

– Essa mescla de experiência e juventude é importante. Entendo que temos que ter alguns experientes no elenco para dar equilibro, suporte para os mais jovens. Mas temos uma espinha dorsal de jogadores mais experientes. Jogadores que já saíram da faixa do 23 e estão no auge. Desde o Cleiton, goleiro, até o Sasha, atacante. Na zaga, o Léo Ortiz, temos o Juninho Capixaba, o Evangelista no meio… Temos vários jogadores que já tem uma rodagem e dão suporte e essa mescla. A gente está sempre avaliando.

4) Situação de Bruno Praxedes

– Praxedes está emprestado até o fim do ano. Não existe obrigação de compra, existe opção de compra por parte do Vasco. Mas ainda não houve manifestação concreta de compra ou não. Ele é um caso que tomamos a decisão correta. Quando cheguei, ele não tinha minutos, jogador jovem, mostrou bem em outros momentos, mas estava sem espaço. Conversei com o Caixinha, com o Praxedes. Quando percebemos que não teria o espaço, tomamos a decisão de emprestá-lo. Tem o caminho aberto. Volta para cá, se vai ser comprado pelo Vasco ou outro clube…

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo