Santos

Santos teve aproveitamento ligeiramente melhor antes da pausa de 2020 do que na de 2021; veja as estatísticas

Santos

A rodada desta semana do Campeonato Paulista foi adiada devido as novas medidas de restrição contra a pandemia de Covid-19. Com isso, o Santos não enfrentará a Ponte Preta neste sábado, como era planejado anteriormente. Até agora, o Peixe venceu dois jogos na temporada, desempenho ligeiramente inferior ao da equipe antes da pausa em 2020.

No dia 16 de março de 2020, a Federação Paulista de Futebol anunciou a paralisação do estadual por tempo indeterminado. Naquela oportunidade, o Santos havia disputado dez jogos entre Libertadores e Campeonato Paulista, venceu cinco, empatou duas e foi derrotado três vezes. Na atual temporada o Peixe disputou apenas cinco partidas, venceu duas, empatou duas e perdeu uma.

Porém, a equipe comandada por Jesualdo Ferreira teve aproveitamento ligeiramente melhor que o Ariel Holan . Em dez jogos, o Santos teve 56,7% de aproveitamento contra os 53,3% na temporada de 2021. Em 2020, antes da pausa, o Santos venceu 50% dos jogos, empatou 20% e perdeu 30%. Enquanto neste ano, o Peixe ganhou 40%, foi derrotado em 20% e empatou 40%.

A grande diferença são os gols sofridos. Na temporada de 2021, o Santos sofreu 9 gols em cinco jogos (média de 1,8 por jogo), enquanto em 2020 havia sofrido 9 gols também, mas em 10 jogos (média de 0,9 por jogo). Mas no ataque o time de Ariel Holan se mostra melhor com 7 gols (média de 1,4 por jogo), contra os 11 de 2020 (média 1,1 por jogo).

Quando o futebol parou no ano passado, o Brasil ainda sentia os primeiros efeitos do coronavírus com somente 178 casos, ainda sem mortes confirmadas. O Santos estava na liderança do Grupo A com 15 pontos. Agora, um ano depois, o país possui a triste marca de 290.525 óbitos causados pela Covid-19, e 11.877.009 casos confirmados. O Peixe ocupa a terceira colocação do Grupo D com cinco pontos.

Quer saber mais sobre o Santos, siga o Esporte News Mundo pelo TwitterFacebookInstagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top