Corinthians

À sombra do Gigante: com perfis diferentes, reservas de Cássio aguardam chance no gol do Corinthians

Cássio tem números positivos e não é ameaçado por reservas no Corinthians. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

A titularidade de Cássio no gol do Corinthians hoje é algo incontestável internamente no clube. Dono da posição há quase uma década, o Gigante, como é conhecido, faz mais uma temporada de destaque no Campeonato Brasileiro.

De acordo com  o site especializado em estatísticas Footstats, Cássio é o segundo goleiro com mais defesas no Brasileirão, com 62, uma a menos que o líder nesse quesito, Maílson, do Sport. O arqueiro corinthiano também já fez 13 defesas difíceis na atual edição da competição.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Tudo isso reforça a condição de titular do camisa 12, mesmo aos 34 anos. Mas enquanto isso, os quatro reservas apenas assistem às boas atuações do goleiro e veem de forma diferente essa situação.

A começar pelo mais experiente, Caíque França, de 26 anos. Cria das categorias de base, o goleiro foi alçado ao time profissional em 2017 e entrou em campo apenas 15 vezes pelo Corinthians neste período. No ano passado esteve emprestado ao Oeste, onde ganhou minutos, mas, sem entrar em campo ainda em 2021, deve deixar o clube ao fim do contrato, em dezembro desse ano.

Caíque França pode deixar o Corinthians no fim do ano. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Matheus Donelli é o mais jovem dos goleiros do Corinthians, com 19 anos. No entanto, apesar da inexperiência, é atualmente considerado como reserva imediato de Cássio. Quando o titular testou positivo para Covid-19, foi ele quem entrou em campo contra Palmeiras e Ponte Preta, pelo Paulistão. O jovem também já atuou contra o Novorizontino, também pelo estadual, e na etapa final da partida contra o River Plate-PAR, pela Sul-Americana, quando Cássio deixou o campo, lesionado.

Donelli foi campeão da Copa do Mundo Sub-17, em 2019, como titular da Seleção Brasileira e é visto como uma joia a ser trabalhada para substituir Cássio na meta corinthiana no futuro.

Matheus Donelli é visto como reserva imediato de Cássio. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

+ Léo Santos perde espaço para garoto de base no Corinthians

Outro goleiro formado na base do Timão é Guilherme Vicentini, o Pezão. Aos 21 anos, começou a figurar entre os relacionados para os jogos na temporada passada, mas ainda não estreou entre os profissionais. Recentemente, figurou no sub-23, que disputa o Brasileirão de Aspirantes e ainda aguarda a oportunidade de ser acionado no time principal.

Guilherme Vicentini espera primeira chance como profissional. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Carlos Miguel é mais um que vive sob a sombra de Cássio. Formado pelo Internacional, o arqueiro de 22 anos chegou há menos de um mês ao Corinthians após ter contrato rescindido com o Colorado. Por enquanto o goleiro apenas treina no CT Joaquim Grava, mas logo em sua chegada, já revelou admiração pelo ídolo corinthiano.

— Para mim, estar ao lado do Cássio é uma emoção gigantesca. Com 10, 12 anos de idade, vi o Cássio jogando o Mundial e, hoje, estar ao lado dele, pra mim é muito especial. É um ídolo e eu tenho muito a aprender com ele — disse o goleiro.

Carlos Miguel tem Cássio como ídolo. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top