Campeonato Brasileiro

Análise: O frustrante Atlético-MG e a valente Chapecoense

Atlético-MG foi neutralizado pela Chapecoense no Mineirão (Foto: Pedro Souza / Atlético)

O Atlético-MG enfrentou a Chape com a vantagem de saber de todos os resultados da rodada. O time já sabia dos tropeços dos adversários na disputa pelo título e mesmo assim não jogou bola suficiente para fazer os três pontos na noite desta segunda-feira, 21.

Antes de começar a analise, gostaria de exaltar o trabalho do Jair Ventura. O técnico conseguiu, dentro de todas as limitações da Chape, tornar o time mais competitivo e teve um excelente resultado no Morumbi contra o São Paulo. A equipe criou chances claras de ganhar a partida e no Mineirão contra o Galo saiu com o empate, mas também com chance de vencer o jogo.

Logo no primeiro minuto, a Chape saiu na cara do gol com uma chance claríssima. Podemos dizer que o time teve 3 chances absurdas de gol e não aproveitou no primeiro tempo. A zaga atleticana estava mal posicionada. Allan sem dar consistência para o meio. Mesmo desorganizado o Galo saiu na frente com Tche Tche chutando de fora da área. Hulk mostrou boa movimentação e criou boas chances também. Veja mais detalhes no vídeo abaixo.

Para a segunda etapa, o Arana apareceu um pouco mais e parecia que nos primeiros 10 minutos os mandantes iam, hora ou outra, matar a partida. Porém o gol do Atlético não saiu e a Chape começou a gostar do jogo. Conclusão, pênalti bobo do Allan em Fernandinho e os visitantes empataram a partida, levando um ponto para casa.

Acredita-se que o Atlético não levou a partida tanto a sério como deveria. Não competiu como deveria. Não criou como deveria. Resultado justo. Vale lembrar que um time que quer ser campeão em pontos corridos, precisa jogar 38 finais.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top