Eliminatórias Copa do Mundo

Em jogo quente e violento, Argentina e Brasil empatam sem gols

Foto: Divulgação/AFA

Na noite desta terça-feira (16), Argentina e Brasil ficaram no empate sem gols, em San Juan. Em jogo pegado e violento, os times pouco criaram e levaram perigo para as defesas. Com o resultado, a Seleção Brasileira se manteve na primeira colocação e com os mesmos seis pontos de diferença para o time argentino, que ocupa o segundo lugar na tabela de classificação.

O JOGO!

Em um primeiro tempo bastante disputado e violento, os times foram para o intervalo com o placar zerado. O Brasil teve o lance de mais perigo até então, quando Lucas Paquetá deixou Vinícius Júnior cara a cara com E.Martínez. O atacante tentou a cavadinha, não pegou bem e a bola saiu pela linha de fundo. No lance seguinte, aos 18 minutos, Matheus Cunha quase marcou um golaço. O camisa 21 recebeu ainda no campo defensivo, viu o goleiro adiantado e arriscou do meio campo, a bola passou perto da meta.

A Argentina, por sua vez, pouco levou perigo ao time de Tite. Os Hermanos tentavam subir a pressão e marcar em cima da defesa brasileira, que na maioria das vezes soube se virar e não se comprometeu. Aos 33 minutos, Raphinha bagunçou o lado esquerdo argentino e só foi parado após cotovelada criminosa de Otamendi, que fez o atacante jogar o resto da primeira etapa sangrando. O lance foi revisado e o VAR nada marcou.

Na segunda etapa, o jogo se manteve da mesma maneira. A Argentina tentando sufocar o Brasil no campo de defesa, enquanto o time de Tite buscava a velocidade do trio Raphinha, Vinícius e Matheus Cunha. Como foi na primeira parte, o jogo continuava quente e violento, os sete cartões amarelos não foram por acaso. O lance que mais chamou atenção foi a linda lambreta de Vinícius Júnior em cima de Pezzella. Aos 24 minutos, Tite começou a mexer o time. Tirou Raphinha e botou Antony, trocou Gerson por Paquetá e depois substituiu Matheus Cunha para a entrada de Gabriel Jesus. As mudanças não surtiram muito efeito e o Brasil pouco levou perigo.

O time argentino até tentou pressionar e afunilar a saída de bola do Brasil, porém, sob grande atuação da defesa e do volante Fabinho, o time de Tite continuava conseguindo inverter o jogo e sair com tranquilidade. Durante o segundo tempo, Scaloni também mexeu no time. Sacou Paredes, Lautaro, Romero e Di María, e botou Martínez, Correa, Pezzella e Álvarez. Depois dos 35 minutos, Messi começou a aparecer no jogo. O camisa 10 argentino conseguiu boa jogada saindo da direita para o meio, mas parou em boa defesa de Alisson. De resto, um jogo brigado no meio campo e sem grandes chances para ambas equipes.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

Agora, as seleções só retornam a campo em 2022, pela 15ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. O Brasil enfrenta o Equador no dia 27 de janeiro do ano que vem, enquanto a Argentina visita o Chile na mesma data. O local e o horário das partidas ainda não foram divulgados.

Na noite desta terça-feira (16), Argentina e Brasil ficaram no empate sem gols, em San Juan. Em jogo pegado e violento, os times pouco criaram e levaram perigo para as defesas. Com o resultado, a Seleção Brasileira se manteve na primeira colocação e com os mesmos seis pontos de diferença para o time argentino, que ocupa o segundo lugar na tabela de classificação.

O JOGO!

Em um primeiro tempo bastante disputado e violento, os times foram para o intervalo com o placar zerado. O Brasil teve o lance de mais perigo até então, quando Lucas Paquetá deixou Vinícius Júnior cara a cara com E.Martínez. O atacante tentou a cavadinha, não pegou bem e a bola saiu pela linha de fundo. No lance seguinte, aos 18 minutos, Matheus Cunha quase marcou um golaço. O camisa 21 recebeu ainda no campo defensivo, viu o goleiro adiantado e arriscou do meio campo, a bola passou perto da meta.

A Argentina, por sua vez, pouco levou perigo ao time de Tite. Os Hermanos tentavam subir a pressão e marcar em cima da defesa brasileira, que na maioria das vezes soube se virar e não se comprometeu. Aos 33 minutos, Raphinha bagunçou o lado esquerdo argentino e só foi parado após cotovelada criminosa de Otamendi, que fez o atacante jogar o resto da primeira etapa sangrando. O lance foi revisado e o VAR nada marcou.

Na segunda etapa, o jogo se manteve da mesma maneira. A Argentina tentando sufocar o Brasil no campo de defesa, enquanto o time de Tite buscava a velocidade do trio Raphinha, Vinícius e Matheus Cunha. Como foi na primeira parte, o jogo continuava quente e violento, os sete cartões amarelos não foram por acaso. O lance que mais chamou atenção foi a linda lambreta de Vinícius Júnior em cima de Pezzella. Aos 24 minutos, Tite começou a mexer o time. Tirou Raphinha e botou Antony, trocou Gerson por Paquetá e depois substituiu Matheus Cunha para a entrada de Gabriel Jesus. As mudanças não surtiram muito efeito e o Brasil pouco levou perigo.

O time argentino até tentou pressionar e afunilar a saída de bola do Brasil, porém, sob grande atuação da defesa e do volante Fabinho, o time de Tite continuava conseguindo inverter o jogo e sair com tranquilidade. Durante o segundo tempo, Scaloni também mexeu no time. Sacou Paredes, Lautaro, Romero e Di María, e botou Martínez, Correa, Pezzella e Álvarez. Depois dos 35 minutos, Messi começou a aparecer no jogo. O camisa 10 argentino conseguiu boa jogada saindo da direita para o meio, mas parou em boa defesa de Alisson. De resto, um jogo brigado no meio campo e sem grandes chances para ambas equipes.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

Agora, as seleções só retornam a campo em 2022, pela 15ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. O Brasil enfrenta o Equador no dia 27 de janeiro do ano que vem, enquanto a Argentina visita o Chile na mesma data. O local e o horário das partidas ainda não foram divulgados.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR MAIS DESTE TEMPO REAL

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top