Atlético-MG

Com 10 jogadores sendo observados por clubes estrangeiros, Atlético-MG planeja receita de R$ 100 milhões em vendas neste ano

Com 10 jogadores sendo observados por clubes estrangeiros, Atlético-MG planeja receita de R$ 100 milhões em vendas neste ano
Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

Desde o ano passado, o Atlético-MG tem sido conhecido por ser ‘o primo rico’ em Minas Gerais, com investimentos que ultrapassam a casa de R$ 400 milhões. Mas, com a chegada da nova gestão presidida por Sérgio Coelho, a política de investimento do clube tem mudado. Neste ano, o Galo contratou quatro jogadores: Dodô, Hulk e Nacho, além de Tchê Tchê que chegou por empréstimo. Para que novas contratações aconteçam no time alvinegro, vendas terão que ser feitas.

No planejamento do Atlético-MG para 2021, está prevista a arrecadação de R$ 100 a R$ 120 milhões em venda de jogadores. Em entrevista ao Superesportes, o principal investidor atleticano e dono da MRV, Rubens Menin, falou sobre o orçamento do alvinegro e como funcionará a política de contratações daqui por diante.

— O Atlético tem um orçamento anual, que é aprovado pelo Conselho. O orçamento mostra quanto tem que investir e quanto tem que vender. O Atlético prevê vendas de R$ 100 milhões, mas ainda não vendeu. Tem que vender para adquirir mais. Se a gente fizer uma venda que supere R$ 100 milhões, você faz mais investimentos. Se não, você faz menos. Tem que ter disciplina financeira.

Segundo Rubens Menin, o Atlético-MG possui 10 jogadores do plantel sendo observados por equipes estrangeiras e que na próxima janela de transferências pode acontecer alguma venda.

— O Atlético tem muito jogador com potencial de venda, graças a Deus. O Atlético, hoje, tem um plantel. No passado, o jogador do Atlético não pegava preço. Hoje, o Atlético tem mais de dez jogadores sendo observados por times do exterior, do Brasil, com potencial de preço. Mas agora não tem janela de transferência. Quando abrir a janela, pode ser que aconteça alguma oferta.

Jogadores para não vender

Principalmente neste ano, o Atlético-MG fez contratações que fogem do perfil de contratação que os investidores vinham bancando — jogadores jovens e com potencial de venda. Na entrevista ao Superesportes, o Rubens Menin disse que atletas como Hulk, de 34 anos, e Nacho Fernández, de 31, são investimentos que não buscam retorno financeiro por vendas.

E ainda, o investidor explica que se o Atlético-MG não conseguir ‘fazer dinheiro’ com os seu jogadores, o prejuízo é dos investidores e não do clube.

— O Hulk não teve luvas, é só salário. A comissão técnica achou que era um bom salário a ser pago, que ele acrescenta. Em relação ao Nacho e outros mais, muitos jogadores têm que vir para não serem vendidos, para ficarem aqui o quanto mais, melhor. Não são jogadores para você ter lucro. A gente tem que vender aquele jogador que não vai ser reciclado. Eu gostaria muito que o Nacho ficasse os quatro anos de contrato, que pudesse ajudar muito pelos próximos quatro anos. Essa é a ideia.

Para ficar informado sobre tudo que acontece com o Atlético-MG, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top