Mais Esportes

Com base na última temporada, Itambé/Minas ainda é o time a ser batido?

O Minas Tênis Clube é o atual bicampeão da Superliga Feminina de Vôlei - Orlando Bento/Minas Tênis Clube
Orlando Bento/Minas Tênis Clube

A temporada da Superliga feminina de vôlei de 2021 começa sexta-feira (29), e é claro que o time mais regular no período passado continua muito visado. Na atual temporada, as minastenistas já perderam dois títulos para o Praia Clube. Será que o Itambé/Minas ainda é o time a ser batido?

Na última temporada, o time foi campeão da Superliga Feminina de Vôlei da Copa do Brasil, do Sul-Americano e do Campeonato Mineiro. A equipe da rua da Bahia manteve a base do último ciclo e, apesar das dificuldades enfrentadas na preparação, o Minas ainda é um dos favoritos. 

Os destaques da equipe de BH ainda ficam por conta da permanência das centrais Thaisa e Carol Gattaz, e também da levantadora Macris. As duas últimas, inclusive, foram medalhistas de prata nos Jogos Olímpicos com a Seleção Brasileira.

SIGA O ESPORTE NEWS MUNDO NO TWITTER, INSTAGRAM E FACEBOOK. E NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

— Estamos muito empolgadas e a motivação é muito grande para o início da temporada. Nós sabemos que vai ser uma temporada intensa, com vários campeonatos, mas o Itambé/Minas está pronto. Sabemos que todos os outros times querem ganhar da gente, principalmente porque fomos campeãs de tudo na última temporada, mas conhecemos a força da nossa equipe e estamos preparadas – disse a central em entrevista às mídias oficiais do clube.

No fim da temporada 20/21, Nicola Negro conquistou a confiança até mesmo de parte da própria torcida do Minas que ainda não estava satisfeita. A dupla americana, Danielle Cuttino e Megan Easy, se destacou e cumpriu bem o papel do jogo, baseado na velocidade de Macris. A jogada com “a cara” do Minas era a passagem de bola da levantadora para as centrais Thaísa e Carol Gattaz, que são bolas de segurança muito eficientes e que incomodam as adversárias. 

Após as derrotas para o Praia Clube no Mineiro e na Supercopa e, ainda com parte do elenco em recuperação física devido aos casos de Covid-19, o Itambé/Minas vê pela frente desafios maiores que os do passado. Apesar dos desfalques e dos contratempos, a equipe de Belo Horizonte parece não ter encontrado o entrosamento ideal e, nas últimas partidas, apresentou inúmeros erros que fizeram a diferença no resultado final.

Depois de dois títulos desperdiçados, o técnico do Itambé/Minas, Nicola Negro, comentou: “É claro que não estamos satisfeitos com o nosso desempenho e ficamos tristes pelo público, que merecia ver uma performance melhor. Parabéns ao Praia por estar jogando um bom voleibol, mas no momento sabemos que estamos abaixo no que se refere aos aspectos físicos e técnicos. Algumas atletas ficaram 15 dias isoladas e isso está refletindo em quadra, mas não podemos lamentar. Agora é pensar na frente, porque vamos estrear no Sul-Americano, que é um dos nossos objetivos na temporada”.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top