Coritiba

Conselho Deliberativo do Coritiba rebate acusações da chapa União Coxa

Foto: Divulgação/Coritiba

Sem data definida para as eleições do clube, o Coritiba vive um período de acusações por parte das chapas concorrentes ao Conselho Deliberativo. Depois de rebater acusações da chapa Coritiba Ideal, de Renato Follador, foi a vez de responder o pronunciamento do movimento União Coxa, de João Carlos Vialle.

A nota publicada nas redes sociais pela União Coxa na última sexta-feira (11) foi intitulada de “Incompetência sem fim”, e ressaltou a suposta falta de preparo da Comissão Eleitoral e Conselho Deliberativo. Confira o início do texto, citado na resposta divulgada pela Comissão:

“A indefinição das eleições do Coritiba apenas reflete a incompetência da atual gestão quer no futebol, quanto na parte administrativa. O presidente do Conselho Deliberativo e a Comissão Eleitoral, também se infeccionaram com o vírus da falta de comando. O mundo sabe que existe uma pandemia matando pessoas desde março e chegamos na eleição sem qualquer plano de contingência para isso. Uma incompetência absoluta. Tudo feito sem critério, sem discussão, sem preparo.”

RESPOSTA DO CONSELHO

O Conselho Deliberativo do Coritiba rebateu as acusações numa nota oficial publicada neste sábado (12). De início, destacaram que “a indefinição nas eleições do Coritiba não foram causadas pela comissão eleitoral.”

Quanto ao plano de contingência, que a nota da chapa União Coxa afirmou não existir, o Conselho rebateu que o grupo ficou ciente das propostas alternativas sugeridas na reunião do dia 24 de novembro. As ações envolviam a localização de urnas em diversos portões do Estádio Couto Pereira, a realização de eleições exclusivamente no sistema “drive thru”, além da possibilidade da realização de eleições virtuais.

Durante a reunião para esclarecimentos com a empresa que hospedaria a eleição virtual, a nota do Conselho Deliberativo ainda afirma que a chapa União Coxa se manifestou contrária à eleição virtual, alegando que a base de dados da Central
de Sócios do Clube não era confiável, e que precisava haver o recadastramento eleitoral. Esta posição foi seguida pelas chapas Coritiba Ideal e Coritiba Responsável.

Assim, a comissão eleitoral suspendeu a decisão que havia tomado e reuniu todas as chapas no dia 10 de dezembro para buscar uma solução consensual que permitisse a realização das eleições e, com critério, a preservação do Clube.

A nota destacou: “Não faz sentido a chapa UNIÃO COXA, que participou de todas as reuniões e discussões, que teve todas as suas manifestações prontamente respondidas, e quando apresentou ideias consistentes e pertinentes, estas foram endossadas pela comissão eleitoral, com discernimento, privilegiando a participação, venha justamente alegar a falta de critério, de discussão e de preparo desta mesma comissão eleitoral.”

Finalizando o documento, o Conselho Deliberativo ressaltou que a nota da chapa faz acusações sem base.

As eleições seguem indefinidas até a próxima segunda-feira, às 19h, na qual ocorrerá uma reunião do Conselho Deliberativo para resolver os próximos passos.

Para saber tudo do Coritiba, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top