Conmebol Libertadores

Ficou no quase: derrota na final da Libertadores transforma 2021 em ano frustrante para o Flamengo

Ano frustrante Flamengo
Foto: Buda Mendes/Getty Images

O Flamengo entrou em 2021 com as mesmas expectativas dos anos anteriores: títulos expressivos e futebol bem jogado. O segundo até conseguiu, em determinados momentos, mas o primeiro, após a derrota para o Palmeiras por 2 a 1 na final da Libertadores, no último Sábado (27), eliminou a última chance do Rubro-Negro de terminar o ano com um grande caneco. Dessa forma, o ano de 2021 virou uma temporada de grande frustração para o torcedor.

O ano se iniciou com Rogério Ceni no comando da equipe. Mesmo com duras críticas recebidas durante toda a temporada anterior, o treinador conseguiu o título do Brasileirão, após cair nas oitavas de final da Libertadores e nas quartas de final da Copa do Brasil.

Com o Bi-campeonato Brasileiro, Rogério teve a confiança da diretoria e se manteve no cargo para 2021. Com boas atuações e um time entrosado, o Flamengo foi jogando bem, ganhou o Carioca e avançou para as oitavas de final da Libertadores sob o seu comando. Contudo, em um período no qual o time ficou sem suas principais estrelas por conta de convocações, o rendimento caiu muito e problemas extra-campo acabaram resultando na queda do treinador.

Foi então que entrou em cena Renato Gaúcho, que estava sem time após acordar sua saída do Grêmio, mais cedo este ano. O técnico chegou com a confiança da torcida, diretoria e jogadores, emplacando grandes resultados nos seus primeiros jogos. Em determinado momento, inclusive, foi comparado ao início de Jorge Jesus no comando do Rubro-Negro, com números superiores ao do português.

Contudo, a lua de mel também não durou muito. Convocações e suscetíveis lesões desfalcaram a equipe que, assim como com Rogério, caiu de produção. Más atuações, decisões equivocadas de Renato e muitas críticas ao departamento médico do clube geraram o início da turbulência no clube, que se arrastou até a grande final da Libertadores.

O ponto mais crítico foi a eliminação vexaminosa na Copa do Brasil, para o Athlético-PR, em pleno Maracanã. Na ocasião, o Flamengo perdeu o jogo por 3 a 0 e saiu vaiado de campo, com a torcida gritando o nome do “mister” Jorge Jesus. Após a partida, Renato chegou a entregar o cargo, mas foi convencido pela diretoria a permanecer no comando da equipe.

Após essa eliminação, a situação ficou bem conturbada para Renato e sua comissão técnica. Críticas surgiam de todos os lados, seja a respeito do repertório do time, das suas escalações ou até mesmo da sua rotina de treino.

Contudo, o treinador conseguiu dar a volta por cima. O time voltou a jogar bem e emplacou goleadas que voltaram a fazer o torcedor jogar com a equipe. Com o Brasileiro longe de vista, o foco na Libertadores virou prioridade. Porém, uma última controversa abalou o Flamengo antes da decisão. 

Na terça-feira (23), quatro dias antes da decisão, o Flamengo entrou em campo com um time reserva para enfrentar o desesperado Grêmio pelo Brasileirão. A equipe gaúcha precisava da vitória para alcançar três vitórias seguidas e sonhar com a permanência na Série A. Foi então que surgiram os rumores de que Renato poderia entregar o jogo, como forma de ajudar a equipe da qual é o maior ídolo da história.

Mesmo com o time reserva, o Flamengo abriu 2 a 0 no placar, com dois gols de Vitinho. O Grêmio, com um a menos, parecia entregue na partida. No entanto, percebendo a fisionomia do treinador do Rubro-Negro, foi possível perceber que nos dois gols da sua equipe, não foi registrada nenhuma emoção ou comemoração. Após o segundo gol, inclusive, Renato tirou Vitinho, autor dos dois gols e colocou o volante Piris da Motta, mesmo estando com um jogador a mais em campo.

O time se desarrumou e permitiu o empate do Grêmio, com gols de Borja e Ferreirinha. Ao final da partida, muitos torcedores do Flamengo ficaram inconformados com a substituição de Renato e também com suas reações (ou falta delas) aos gols de Vitinho. Estava instaurada mais uma crise às vésperas da decisão da Libertadores.

Contra o Palmeiras, não há dúvidas que o peso nas costas de Renato fez diferença, com o Flamengo não conseguindo furar o bloqueio alviverde e saindo derrotado por 2 a 1. O ano de 2021 está oficialmente encerrado para o Rubro-Negro, com grandes chances de perder seu treinador para a próxima temporada. Um ano cheio de expectativas que acabou com um grande sabor de derrota.

Siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitterFacebook e Youtube.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top