Futebol Internacional

Gattuso se queixa de acusações: ‘Muita maldade nas redes sociais’

FOTO: DIVULGAÇÃO / NAPOLI

Quando José Mourinho deixou o Tottenham, a diretoria do clube inglês foi atrás de algumas opções para substituir o técnico português. Um dos nomes aprovados pelos dirigentes foi o do italiano Gennaro Gattuso, que teve bom desempenho a frente do Napoli. No entanto, alguns torcedores iniciaram campanhas nas redes sociais sendo contrários a contratação do treinador sob a alegação de que ele teria feito comentários racistas e sexistas no passado. Assim, o acerto com Gattuso não aconteceu e Nuno Espírito Santo foi contratado.

Pela primeira vez depois de algum tempo, o italiano topou falar sobre o motivo que o fez ser recusado no Tottenham. em entrevista ao jornal Il Messaggero, Gattuso destacou que não pode nem mesmo se defender de tais acusações, já que não possuiu rede social. Além disso, o italiano pediu mais responsabilidade dos usuários no momento de fazer acusações.

— Para dizer a verdade foi uma grande desilusão. Não sou essa pessoa que descreveram e sequer pude me defender, já que não tenho contas em redes sociais. É uma coisa que me magoa muito mais do que qualquer derrota ou perda de título. As vezes nós nem percebemos o quão perigosa pode ser a rede social. Existe muita maldade nas pessoas e as mentiras ganham força muito rápido — destacou Gattuso.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Após deixar o Napoli, o treinador chegou a acertar sua ida para a Fiorentina, no entanto, dias depois o acordo acabou desfeito. O clube anunciou apenas a rescisão do acerto sem destacar um motivo, mas a imprensa italiana acredita que tenha a ver com a política de contratação do clube, além de um desentendimento da diretoria da Fiorentina com o empresário do treinador.

Aos 43 anos, Gattuso iniciou sua carreira como treinador na temporada 2012/13, assim que se aposentou dos gramados, dirigindo o Sion, da Suíça. Na Itália ele comandou Palermo, Pisa, Milan e Napoli. A carreira de treinador ainda conta com uma passagem pelo OFI, da Grécia.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top