Futebol Internacional

Ligas Europeias se unem contra proposta de Copa do Mundo a cada dois anos

FOTO: DIVULGAÇÃO / FIFA

As Ligas Europeias convocaram uma reunião nesta sexta-feira (22), para reiterarem o posicionamento contrário às novas propostas da Fifa, principalmente com relação a realização da Copa do Mundo a cada dois anos. A entidade também deseja modificar o calendário dos jogos de seleções com menos paradas durante a temporada, mas com uma duração maior do que acontece no momento. As informações sobre o desfecho da reunião foram divulgadas pelo jornal português “A Bola”.

O comunicado divulgado pelos membros das Ligas Europeias destacou uma forte e unânime rejeição a todas as propostas da entidade, principalmente na mudança do calendário para jogos das seleções nacionais. As Ligas entendem que a mudança pode impactar os principais campeonatos de clubes não apenas na questão econômica, mas também desportivamente.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Além disso, as Ligas solicitaram um melhor equilíbrio enre as competições nacionais, continentais e mundiais, seja no âmbito de clube ou seleção. A ideia é que a Fifa possa optar por mudanças, mas que elas sejam limitadas e não tenham um impacto muito grande no já apertado calendário do futebol europeu.

A reunião contou ainda com outros assustos de importância para os clubes, como por exemplo a nova regulamentação do Fair Play Financeiro, que será aprovado oficialmente até o mês de março de 2022 pela UEFA. A intenção é que nenhum clube leve vantagem grande vantagem técnica sobre os outros por conta do seu grande poder financeiro.

Os representantes das Ligas Europeias, de acordo com o “A Bola”, receberam um briefing de técnicos da FIFA, que prometeu uma discussão mais democrática sobre o futuro da Copa do Mundo e do calendário internacional. A definição sobre a diminuição do intervalo de tempo para o mundial deve ser concluída até o final do próximo ano, mas tendo como base a opinião dos representantes das principais ligas do mundo..

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top