Corinthians

Luan comemora sequência no Corinthians e projeta duelo contra o Peñarol: “Só a vitória importa”

Corinthians Timão Luan
Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Após demonstrar a insatisfação com a falta de oportunidades no Corinthians, o meia Luan voltou a ser escalado pelo técnico Vagner Mancini e vem ganhando uma sequência na equipe. Titular em três dos últimos cinco jogos, o camisa 7 afirmou estar mais feliz com as chances recebidas no Timão.

“Estou feliz em estar podendo jogar, ter mais oportunidades. Tenho certeza que vou melhorar muito ainda. Eu estava com muita vontade de voltar a jogar, de poder ajudar meus companheiros. Fizemos jogos bons, com vitória. Claro que temos que melhorar muito, sempre queremos melhorar, mas com vitórias fica um pouco mais fácil. Estou muito feliz por voltar a jogar, espero poder ajudar muito o Corinthians ainda”, declarou o jogador de 28 anos em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (28).

Sempre apoiado por dirigentes e companheiros de equipe, Luan agradeceu o voto de confiança recebido. Torcedor do Corinthians de infância, ele ainda ressaltou o sentimento de realização por poder vestir a camisa alvinegra.

“Eu fico muito feliz de ter esse apoio da diretoria, dos meus companheiros. Eu tento me dedicar ao máximo. Todo dia, quando venho para o treino e entro aqui, me sinto realizado por poder vestir essa camisa. Toda a minha família, os meus amigos, sabem do sonho que eu tinha de jogar no Corinthians. E me dedicar a cada dia, para que eu possa ajudá-los e retribuir esse carinho, esse apoio, dentro de campo. Retribuir também o torcedor, eu também sou um torcedor. Fico muito feliz com o apoio de todos eles”, disse.

Nesta temporada, o Timão vive difícil situação financeira, com o foco da diretoria sendo em cortar gastos e investimentos em todos os departamentos do clube, principalmente no futebol. Apesar do cenário complicado, o meia garantiu que o elenco pensa em brigar por títulos.

“A gente não tem tanta noção do que acontece fora de campo, na parte da diretoria. A gente procura focar dentro do campo e deixar essa parte com a diretoria. Encaramos isso como desafio. Todo mundo que está aqui chegou por mérito, então confiamos bastante, sabemos que temos que nos apoiar para contrariar isso que a maioria diz, que será um ano difícil. Com os treinamentos, a gente se dedicando, entendendo o que é o Corinthians, o peso dessa camisa, não podemos pensar em não brigar por títulos. Independentemente se falam que nosso time não vai brigar por nada, temos que acreditar em nós mesmos e saber que temos capacidade, com treinamento e dedicação, de brigar por algo grande nesta temporada”, afirmou.

+ Conselho do Corinthians reprova contas de 2019 e impõe derrota política ao ex-presidente Andrés Sanchez

O Corinthians volta a campo nesta quinta-feira (29), às 19h15 (de Brasília), quando encara o Peñarol-URU, na Neo Química Arena, pela Copa Sul-Americana. Em seguida, no domingo (2), o Timão tem pela frente o clássico contra o São Paulo, pelo Paulistão. Para Luan, o pensamento está exclusivamente no duelo contra os uruguaios.

“A partida de amanhã é uma final para nós. Temos que pensar apenas na vitória, só a vitória importa para a gente. Não estou pensando no jogo de domingo (Majestoso), quero pensar somente no jogo de amanhã, para que possamos fazer um grande jogo e sair com a vitória. Estamos jogando em casa, temos que saber onde estamos, da força do Corinthians. E temos que impor isso dentro de campo, buscar a vitória do primeiro ao último minuto”, completou Luan.

Confira as outras respostas de Luan na entrevista coletiva

Recebeu propostas de outras equipes?

“Em nenhum momento, enquanto estava sem jogar, recebi alguma proposta, mas também eu nem pensaria nisso. Desde moleque, meu desejo sempre foi em jogar no Corinthians. A única coisa que eu pensei foi em trabalhar, me dedicar nos treinamentos, para que eu pudesse ter uma oportunidade e uma sequência. O que acabei dizendo é que todos me cobravam, então a única coisa que eu falei foi sobre ter uma sequência, porque, assim, eu poderia ajudar muito a equipe do Corinthians. Sei da minha capacidade. A única coisa que eu pensei foi em trabalhar no dia a dia e deixar que o professor Mancini saberia a hora de me dar uma oportunidade”

Como ajudar o Corinthians a melhorar o desempenho?

“Eu quero poder ajudar de qualquer maneira o Corinthians. Isso vai muito do que o Mancini pede para a gente dentro de campo, da maneira de jogar. Eu sou um cara que quer estar em todo lugar do campo, quero poder me movimentar. Como eu disse, sou um dos caras com maior distância percorrida dentro dos jogos. Quero contribuir marcando, dando assistência, fazendo gols. Minha confiança está voltando. Espero ajudar o Corinthians da melhor forma”

O que torna o time tão forte jogando na Neo Química Arena?

“Todos esses anos como torcedor, e depois jogando por outra equipe, (percebi que) era a força do torcedor. Sinto muita falta disso, de ter a torcida ali, ainda mais a torcida do Corinthians. Mas a gente tem que entender que, nesse momento, não tem eles ali para nos apoiar. Então, temos que jogar para todo torcedor que está em casa. Temos que saber do peso do Corinthians, do tamanho do Corinthians, e que, jogando dentro de casa, não podemos aceitar. A gente tem que se dedicar para que possa impor nosso ritmo. Todas as equipes que vierem jogar aqui têm que saber que vão ter que suar muito para poder ganhar”

Como você lida com os jovens que estão subindo? E como isso está te ajudando?

“A gente sabe que nesse momento de transição, com muitos jovens da base, os mais velhos têm que dar apoio a eles. São patrimônio do clube, então temos que ajudá-los no dia a dia. Os meninos que subiram têm muita qualidade. Agora que eles estão vendo o que é o Corinthians no profissional. Temos que dar força para eles, porque com certeza eles vão nos ajudar muito, ajudar o Corinthians. Isso serve de motivação para mim, ver a molecada com muita vontade de jogar, isso agrega para darmos o nosso melhor sempre”

Características do Peñarol e treino na Neo Química Arena

“Vamos receber tudo agora, antes de começar o treino. Vai ter o vídeo sobre todos os pontos positivos e negativos do Peñarol. Eu acompanhei pouco, vi só o último jogo deles, e agora vão passar todas as informações detalhadas para a gente. A equipe do Peñarol é uma equipe tradicional, temos que nos preparar para que possamos buscar a vitória. Para a gente, treinar no estádio, estar na arena, é muito bom”

Sequência e postura em campo

“Estou trabalhando, me dedicando nos treinamentos, para que eu possa jogar. A confiança vem a partir do momento que tenho esses minutos, que todo jogador precisa. Essa questão de dar carrinho, de sujar o calção, sempre que precisar eu vou estar à disposição para ajudar os meus companheiros dentro de campo, mas também tem que entender as características de cada um. Minha característica não é de dar carrinho, é mais técnica. Mas, eu me dedico, sim, dentro dos jogos. Às vezes pode não parecer, por essa questão de não dar carrinho, mas correr e dedicação não faltam. Tanto que meus números mostram que sempre fui um dos que mais correu nos jogos, em distância percorrida. Entrega e dedicação, dentro das minhas características, não tem faltado”

Para saber tudo sobre o Corinthians, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top