Fortaleza

Paulão acredita que a sequência de jogos contra equipes da parte debaixo da tabela será difícil: “São os jogos mais complicados”

(Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC)

Nesta quarta-feira (04), o zagueiro e destaque do sistema defensivo do Fortaleza, Paulão, concedeu entrevista coletiva. Na oportunidade, o atleta foi perguntado se devido a lesão de Juan Quintero, outro defensor do elenco, o time precisaria de mais um jogador para ocupar o setor em questão:

– Acho que essa decisão cabe a diretoria. Não cabe a mim ter essa ideia e nem colocar isso. O Rogério é o treinador, ele que normalmente pontua nas contratações, então acho que isso não é o meu papel.

Com a expulsão de Roger Carvalho, diante do Fluminense, Jackson será novamente a dupla de zaga ao lado de Paulão. Para o camisa 25, o entrosamento entre os dois não será um problema, visto que constantemente os dois treinam juntos:

– Não, eu já estou no Fortaleza há um ano, a gente vem trabalhando, mesmo que seja com o Roger, Jackson, Quintero, nos treinamentos a gente acaba revezando, até mesmo para entender como é que o companheiro se posiciona, como que ele gosta de receber a bola. Acho que isso tá dentro do nosso dia a dia. Então acho que o entendimento vem muito mais dos treinamentos do que dos jogos.

O ataque e a defesa do Fortaleza vivem momentos distintos dentro do Brasileirão. Enquanto um é o segundo que menos faz gol, o outro é o primeiro que menos tem suas redes balançadas. Paulão acredita que, devido a força individual dos atletas, o Leão vai conseguir encontrar o equilíbrio entre os dois setores:

– Nossa equipe acaba criando muitas vezes, e muitas das vezes a bola não entra. Então acho que o equilíbrio vai acabar acontecendo, nossa equipe tem um time muito veloz, no individual é muito bom.

Nos próximos quatro jogos, o Fortaleza enfrentará três times que brigam na parte debaixo da tabela de classificação. No entanto, para Paulão, o Leão do Pici não terá vida fácil nessa sequência de partidas:

Esses jogos são os mais difíceis. Eu vejo que jogar contra essas equipes que estão na parte debaixo da tabela é muito mais complicado. É aquela equipe totalmente franco atirador. Então acho que para isso é ter o equilíbrio, ter noção do que nós precisamos.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top