Outro lado

Romário ressalta apoio à Bolsonaro: ‘Antes dele, nosso país estava uma merda’

Foto: Reprodução / canal Cara a Tapa

Campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1994 e atual senador do Rio de Janeiro, Romário afirmou em entrevista para o jornalista Rica Perrone do canal ” Cara a Tapa”, no YouTube, que apoia o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) e que o presidente em questão já fez muita coisa positiva pelo país. Segundo o Baixinho, que fez histórias com a camisa do Flamengo, Vasco e Fluminense, o ” país estava uma merda anos atrás”.

+Em áudio vazado, Galvão Bueno chama Neymar de ‘idiota’; Irmã do camisa 10 retruca

-Cara, eu faço parte de um partido [PL] que, hoje, ele é Bolsonaro”, diz. “Se você me perguntar o que eu acho disso, acho que o Bolsonaro é um presidente que tem feito coisas positivas pro nosso país. Erra em alguns momentos, principalmente esses últimos dois anos, com uma pandemia. Deixar algumas ações. Na minha opinião, algumas coisas que poderia não ter falado. Eu convivi com o Bolsonaro por quatro anos e ele é um cara muito sério. Tem coragem e não tem medo de se posicionar. Ele trouxe isso para a presidência. Antes de Bolsonaro, nosso país estava uma merda – comentou o ex-atacante filiado ao Partido Liberal (PL).

Siga o ENM no TwitterInstagram e Facebook.

O Romário disse, em seguida, que se a eleição fosse hoje ele votaria pela reeleição do atual ocupante do Palácio do Planalto.

-Hoje (contra o Lula)? (Votaria no) Bolsonaro. – completou.

O senador também, que no começo da sua carreia politica chegou-lhe ofertas de propina e outros atos de corrupção. Porém, como jamais teve intenção de cometer infrações, o ex-jogador logo foi “descartado” para integrar formações criminosas.

-No meu primeiro ano chegaram algumas coisas, mas depois você é o que demonstra ser no começo. Minha linha sempre vai ser uma e as pessoas entenderam. Me posicionei de um lado e depois acabou. – contou.

Não é a primeira vez que o Baixinho demonstra apoio ao presidente e aos seus filhos. Quando foi aberta a CPI da Pandemia, ele foi contra se aliando com o discurso governista de que não era o momento. Entretanto, em junho, o senador que é aliado da família Bolsonaro, de quem diz ter só sentimentos de carinho, amizade e respeito, mudou de opinião.

-Já que abriu (a comissão) e está indo (adiante com os trabalhos), os culpados têm que aparecer”, disse o senador, sem indicar quem seriam esses responsáveis. “Eles têm que pagar pelas coisas que fizeram de errado nessa pandemia que matou tantas pessoas, simples assim. – declarou Romário para a revista “Veja”.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top