Cruzeiro

São Paulo vira sobre o Cruzeiro e tem Choque-Rei na semifinal da Copinha

Twitter / São Paulo

Na noite desta quarta-feira, 19, o São Paulo venceu o Cruzeiro de virada, por 2 a 1, no estádio Anacleto Campanella e avançou para a semifinal da Copa São Paulo de Futebol Junior. Na próxima fase, os garotos de Cotia enfrentam o Palmeiras, que derrotou o Oeste por 5 a 2.

O jogo começou atrasado devido a saída da ambulância para o atendimento de uma torcedora, além da queda de energia na região, reestabelecida cerca de meia hora antes do início previsto da partida. Após o apito inicial, o confronto foi muito pegado, mas com poucas chances de gol. O Cruzeiro marcava em cima, pressionando a saída de bola do São Paulo e dificultando a criação das jogadas do adversário. Com muita imposição física, o time mineiro buscou a bola aérea e foi por meio dela que conseguiu abrir o marcador.

Aos 30 minutos, o Cruzeiro conquistou o escanteio pelo lado direito do seu ataque, a cobrança foi na pequena área, na primeira trave e Ageu subiu mais que a marcação para colocar a bola no fundo do gol. Pouco antes, Young havia feito grande defesa, em chute de Victor Diniz, quase na pequena área, para mandar a bola pela linha de fundo.

Pouco depois do gol cruzeirense, a energia, que já havia sido um problema no pré-jogo, voltou a falhar no estádio e a partida foi paralisada por quase 20 minutos. Uma vez reestabelecida a iluminação ideal, o jogo recomeçou e o São Paulo foi atrás do placar.

Com muita dificuldade para criar, o tricolor finalmente achou seu espaço, quando o cronômetro, não paralizado durante o tempo sem energia, marcava 64 minutos. Luiz Henrique fez um lindo passe de calcanhar, Léo encontrou Caio na ultrapassagem pela direita, o camisa 9 cruzou pra área, a bola desviou em Matheus e sobrou para Gabriel Maioli marcar e empatar o jogo.

Para saber tudo sobre a Copa São Paulo, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

Na volta do intervalo, no entanto, o cenário do duelo mudou completamente. Se na etapa inicial o Cruzeiro pressionava na marcação e segurava a criatividade e velocidade do ataque adversário, no segundo tempo só deu São Paulo, em especial com as chegadas de Caio Matheus, que passou a atuar do lado esquerdo.

Em menos de dez minutos o tricolor criou duas chances claras de gol. Caio recuperou a bola no campo ofensivo, fez o cruzamento e Vitinho, na segunda trave, quase embaixo do gol, se atrapalhou na hora de finalizar. Depois, novamente pelo lado esquerdo, Caio fez grande jogada individual e bateu forte, a bola foi na trave.

Logo após essas duas chances, Vitor Roque, para muitos a grande promessa da equipe cruzeirense, entrou em campo no lugar de Ageu, mas a pressão são-paulina continuou. Aos 14 minutos, Vitinho encontrou lindo passe para Luiz Henrique dentro da área. O meia-atacante dominou, mas na hora de chutar se desequilibrou e acabou batendo fraco, para boa defesa de Denivys. Em seguida, Luiz Henrique fez lindo drible e lançou Caio, o atacante são-paulino não tinha muito ângulo, mas bateu forte para outra grande defesa de Denivys.

O Cruzeiro continuou buscando a jogada aérea, levando algum perigo com seus cruzamentos e especialmente na bola parada, enquanto o São Paulo seguiu apostando em Caio pelo lado esquerdo do seu ataque.

Na disputa de estratégias, Matheus criou a melhor chance do Cruzero aos 31 minutos. Em outro escanteio pelo lado direito, ele apareceu sozinho na marca do pênalti, tentou o peixinho, mas mandou por cima do gol. A resposta do São Paulo foi quase imediata e resultou na virada do marcador.

Primeiro, aos 33 minutos, Petri fez o cruzamento da esquerda, Luiz Henrique desviou e Denivys defendeu no reflexo puro. No entanto, na sequência, Pablo Maia encontrou João Adriano pelo lado direito, o camisa 7 invadiu a área, rolou pra trás e Vitinho chegou batendo, a bola desviou na marcação e morreu caprichosa no fundo do gol.

Precisando buscar o resultado, o Cruzeiro foi pra cima. Aos 37 minutos a jogada nasceu pelo lado esquerdo, o cruzamento foi desviado e Alex Matos bateu pra fora, desperdiçando a chance de empatar novamente a partida.

O outro Alex, treinador do São Paulo, mexeu no time para segurar o resultado, com Ythallo e posteriormente também Patryck e Negrucci, nos lugares de Vitinho, Luiz Henrique e Caio, colocando um zagueiro, um lateral-esquerdo e um volante, no lugar de três jogadores ofensivos. O Cruzeiro tentou chegar, na mesma estratégia que adotou ao longo do jogo, mas os garotos de Cotia seguraram o placar e garantiram a classificação.

Agora, o São Paulo reedita a semifinal da Copa São Paulo de 2004 e enfrenta o Palmeiras, da sensação Endrick. Em 2004, o tricolor venceu nos pênaltis, contra um time do Palmeiras que tinha nomes como Ilsinho, Deola, o meia William, contratado pelo São Paulo em 2021. O tricolor tinha em seu elenco nomes como Diego Tardelli, Hernanes, Edcarlos e Alê.

Os times também vão reviver o confronto do Brasileiro sub-20 de 2021, quando o São Paulo fez 4 a 0 no placar ainda na primeira etapa e venceu o jogo por 4 a 2. Os gols do São Paulo foram marcados por Juan (2), Vitinho e Pedrinho, enquanto o Palmeiras descontou com Gabriel Silva (2). As equipes, porém, têm algumas diferenças, a começar pelo treinador palmeirense, já que Wesley Carvalho foi demitido logo após a derrota e Paulo Victor é quem comanda o time hoje. Endrick também não atuou naquele jogo, enquanto o São Paulo também contava com outros nomes, como Juan, que já está com o profissional e Thiagão, que após problemas disciplinares, não foi inscrito na Copa São Paulo.

O Choque-Rei acontece no sábado, 22, às 19h, na Arena Barueri, com o São Paulo como mandante. Será o segundo jogo da Copa São Paulo a usar a tecnologia do VAR. Na sexta-feira, 21, Santos e América-MG, na outra semifinal, farão a estreia da ferramenta na competição.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top