São Paulo

São Paulo fica fora do top-10 dos times que mais arrecadaram com patrocínios no Brasil

Camisa do São Paulo sem patrocínio

Nesta semana, a Sports Value, empresa especialista em marketing no segmento esportivo divulgou um estudo onde compara os balanços financeiros dos principais clubes do Brasil em 2020.

No documento, foi divulgado o quanto cada clube brasileiro arrecadou com patrocinadores. O São Paulo, que atualmente está sem patrocínio master, ficou na 11ª colocação em relação ao período. Na época, o clube tinha mais parceiros que hoje, incluindo o master Banco Inter.

No entanto, com o final do contrato com a instituição bancária, o São Paulo não quis renovar pelo fato do antigo parceiro ter oferecido um valor ainda menor. Até abril de 2020, o São Paulo recebia do banco cerca de R$1,5 milhões mensais, mas ao renovar com o patrocinador em meio a crise econômica causada pelo Covid-19, o valor foi reduzido para cerca de R$ 1 milhão e a marca retirada das costas da camisa. O vínculo foi firmado até o final do ano e novamente renovado até fevereiro de 2021, quando acabou a temporada. Os valores eram considerados baixos pela diretoria do clube.

Desde então, a nova equipe comandada por Eduardo Toni – novo diretor de marketing – está a procura de novos parceiros. Segundo ele em entrevistas, a nova estratégia do clube é tentar uma maior valorização dos principais espaços da camisa, evitar o chamado “macacão de Fórmula 1”, com muitas marcas e focar em parcerias que “agreguem valor”. Ainda assim, nenhum negócio foi concretizado.

Confira a lista completa:

  1. Palmeiras 115 milhões de reais
  2. Flamengo 95
  3. Corinthians 71 
  4. Cruzeiro 33 
  5. Grêmio 33
  6. Internacional 32
  7. Santos 24 
  8. Atlético-MG 21
  9. Bahia 18
  10. Vasco da Gama 17
  11. São Paulo 16
  12. Athletico-PR 14
  13. Fluminense 10
  14. Ceará 8
  15. Fortaleza 7
  16. Botafogo 6 
  17. Coritiba 6
  18. Goiás 4
  19. Atlético-GO 4

Para saber tudo sobre o São Paulo, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram!

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top