Lutas

UFC 271: Adesanya mantém cinturão dos médios em luta disputada com Whittaker

Divulgação/Facebook Oficial UFC Brasil

O UFC 271 foi a grande atração do sábado (12) em Houston (EUA), com Israel Adesanya sendo o astro principal do evento, defendendo mais uma vez o título dos médios na revanche contra Robert Whittaker.

                 

A luta foi extremamente disputada e parelha do começo ao fim. Os dois lutadores tiveram bons momentos, apesar de praticamente nenhum grande golpe de impacto. Ao final, Adesanya manteve o título da categoria até 84kg consigo.

A luta

O ritmo do começo da luta principal do UFC 271 foi de menos agressividade e muito estudo. Adesanya apostava nos chutes e um quase passou perto da cabeça de Whittaker, que preferia um ritmo mais cadenciado e buscava uma proximidade maior com o campeão.

Depois de um primeiro round mais estudado, o segundo se mostrou com o neozelandês radicado na Austrália começando a encaixar alguns golpes, como jabs e a esquerda. Adesanya tentava responder na mesma moeda, mas logo viu o ex-campeão partir para o clinche e tentar a queda. O nigeriano conseguiu escapar e continuava a chutar o rival, este buscando manter mais cadência da hora dos golpes.

A mão esquerda de Whittaker se mantinha firme no terceiro round, mas não o suficiente para balançar o ‘Last Stylebender’. A trocação já se mostrava bem mais franca e o neozelandês tentava derrubar o nigeriano, novamente sem sucesso. No final do round, cada um teve a chance de dar uma balançada no outro com potentes socos.

Whittaker foi para cima no quarto round, quedou e teve a chance de tentar acertar a finalização, mas o campeão mais uma vez conseguiu o escape. A trocação continuava boa, mesmo sem ser tão contundente. Os dois lutadores trabalhavam bem o jogo defensivo, sem dar margem para que algo mais forte os tirasse do combate.

O quinto e último round teve em seu início mais chutes do nigeriano e o neozelandês devolvendo com socos. Whittaker tentava quedar, mas sofrida com a forte defesa do campeão, que usava a grade para se defender. Os últimos minutos da luta foram com ambos colocados junto à grade do octógono, com Whittaker tentando derrubar e Adesanya mais na defesa. Com a luta ficando para os juízes, Adesanya manteve o cinturão consigo.

LEIA TAMBÉM

+ Amanda Nunes confirma saída da ATT: ‘Quero meu espaço privado’

‘Rei do Shoey’, Tuivasa dá nocaute brutal em Derrick Lewis

O co-main event do UFC 271 teve pesos-pesados nocauteadores em destaque. O americano Derrick Lewis e o australiano Tai Tuivasa se enfrentaram num combate que poderia mexer com a divisão, que busca um futuro com a indefinição sobre a permanência de Francis Ngannou

O primeiro round começou bastante morno, mas ‘The Black Beast’ começou a ir para cima com joelhada voadora e derrubando Tuivasa. O americano chegou a buscar bem o ground and pound, mas o australiano escapou e a luta se tornou um pouco mais aberta no final da primeira parte.

No segundo tempo, Lewis iniciou na pressão, encaixando golpes e colocando o ‘Bam Bam’ contra a grade. Tuivasa tentou a resposta com queda, mas a trocação seguiu franca até que uma cotovelada bem pesada balançou o americano e outra o nocauteou de vez. Foi a quinta vitória do australiano, que fez a comemoração com seu tradicional ‘shoey’

Jared Cannonier nocauteia Derek Brunson e pleiteia title shot

Jared Cannonier e Derek Brunson fizeram desafio de pesos-médios que desejam se tornar próximos desafiantes ao cinturão da categoria. Foram dois rounds um tanto distintos, com o primeiro começando com Brunson buscando quedar o rival e sofrendo com a boa defesa de quedas de Cannonier. Apenas na parte final do assalto é que foi para cima com um potente soco de esquerda derrubando o adversário e quase buscando a finalização.

Salvo pelo gongo, Cannonier foi disposto a reagir no segundo e novamente se viu alvo das tentativas de queda de Brunson. Mas conforme a luta foi passando, foi começando a ganhar mais motivação e uma sequência de cotovelada e soco derrubaram Derek Brunson. Depois, já no chão, cotoveladas em série acabaram decretando o fim da luta, a vitória de Jared Cannonier e o pedido a Dana White para lutar pelo título.

Finalizações no segundo round garantem vitórias de Moicano e D’Silva

Renato Moicano foi o representante do Brasil no card principal do evento. Enfrentando a Alexander Hernandez, o brasileiro não se intimidou com a trocação do americano e logo começou a mostrar que queria a luta no solo, conseguindo uma boa queda no primeiro round em cima do rival.

No segundo round, Moicano voltou melhor na trocação, conseguindo colocar alguns socos em cima do americano e uma série de golpes brutais derrubaram Hernandez. Daí em diante, foi aproveitar a chance, pegar o rival e conseguir ajeitar o mata-leão e finalizar sem maiores problemas para vencer a segunda seguida no UFC.

O primeiro brasileiro a subir no octógono do UFC 271 foi Douglas D’Silva. Numa das lutas do card preliminar, o peso-galo encarou o cazaque Sergey Morozov e mostrou muita garra para fazer uma luta de recuperação e ainda conseguir a vitória.

D’Silva sofreu nas mãos de Morozov no primeiro round, sendo balançado pelo rival e até mesmo com knockdown. O brasileiro conseguiu aguentar a pressão e as cotoveladas para conseguir uma reação espetacular no segundo round. Quando a luta foi levada para o solo, conseguiu pegar as costas do cazaque, fazer o mata-leão e apagar o adversário para vencer mais uma no Ultimate.

Resultados UFC 271 – Adesanya x Whittaker 2

Card principal

Israel Adesanya venceu Robert Whittaker por decisão unânime dos juízes – Adesanya mantém o cinturão dos médios

Tai Tuivasa venceu Derrick Lewis por nocaute (1:40 do R2)

Jared Cannonier venceu Derek Brunson por nocaute (4:29 do R2)

Renato Moicano venceu Alexander Hernandez por finalização (1:23 do R2)

Bobby Green venceu Nasrat Haqparast por decisão unânime dos juízes

Card preliminar

Andrei Arlovski venceu Jared Vanderaa por decisão dividida dos juízes

Casey O’Neill venceu Roxanne Modafferi por decisão dividida dos juízes

Kyler Phillips venceu Marcelo Rojo por finalização (1:48 do R3)

Carlos Ulberg venceu Fabio Cherant por decisão unânime dos juízes

Ronnie Lawrence venceu Mana Martinez por decisão unânime dos juízes

Jacob Malkoun venceu AJ Dobson por decisão unânime dos juízes

Douglas D’Silva venceu Sergey Morozov por finalização (3:34 do R2)

Jeremiah Wells venceu Mike ‘Blood Diamond’ Mathetha por finalização (4:38 do R1)

Maxim Grishin venceu William Knight por decisão unânime dos juízes

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo