Futebol Internacional

Valencia chama clubes da Superliga de “egoístas e egocêntricos”

Divulgação / Valencia CF

Um dos clubes mais tradicionais do futebol espanhol, o Valencia divulgou nesta segunda-feira (19) uma dura e longa nota oficial condenando a Superliga.

Em um determinado trecho do comunicado, o clube chama de “egoístas e egocêntricos” os clubes que participaram da fundação da paralela competição continental. Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid pertencem à Superliga.

O logo comunicado também explica em detalhes os motivos pelos quais a maioria da comunidade do futebol europeu está se posicionando contra à nova liga.

Leia abaixo o comunicado do Valencia na íntegra

O Valencia CF e a LaLiga condenam veementemente a proposta recentemente publicada de uma competição europeia elitista e destacada que ataca os princípios da competição aberta e do mérito desportivo que estão no cerne da pirâmide do futebol nacional e europeu.

Hoje, os torcedores de futebol em toda a Europa podem sonhar que seu clube, não importa o tamanho, possa se destacar, chegar ao topo e competir no auge do futebol europeu. Valencia CF e LaLiga defendem esta tradição europeia de futebol para todos. O conceito proposto por 12 clubes europeus destrói esse sonho, fechando a porta ao topo do futebol europeu, permitindo entrar apenas uma elite.

A LaLiga tem uma história orgulhosa de 90 anos como uma competição aberta e baseada no mérito. Milhões de fãs em todo o mundo seguem os 42 clubes da LaLiga Santander e da LaLiga SmartBank. O sucesso de nossas competições ajudou o futebol a se tornar um importante contribuinte para a economia espanhola, respondendo por quase 1,4% do PIB e criando empregos para quase 200.000 pessoas.

A recém-proposta competição europeia de topo nada mais é do que uma proposta egoísta e egocêntrica destinada a enriquecer ainda mais os já super-ricos. Ela minará o apelo de todo o jogo e terá um impacto profundamente prejudicial no imediato e no futuro da LaLiga, seus clubes membros , e todo o ecossistema do futebol.

Além disso, a liga separatista ameaça o restante dos esportes espanhóis para os quais, na atual temporada, a LaLiga contribuirá com mais de 126 milhões de euros como parte de seu acordo com o governo espanhol e a federação espanhola.

Esta destruição do ecossistema do futebol europeu também acabará por causar o fracasso desta nova competição e dos seus clubes participantes, que construíram o seu sucesso com base na conquista de títulos e triunfos desportivos, que agora serão mais limitados.

Utilizamos todas as medidas ao nosso dispor e trabalhamos com todas as partes interessadas para defender a integridade e o futuro do futebol espanhol no melhor interesse do jogo.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top