Athletico

Valorizado no mercado, Nikão é alvo de três clubes brasileiros, mas Athletico tenta renovação

Foto: Buda Mendes/Getty Images / Conmebol

O meia-atacante Nikão segue sendo um dos principais jogadores do mercado brasileiro e recebendo sondagens de clubes. O jogador que está na sétima temporada do Athletico tem contrato apenas até o final de dezembro deste ano e poderá se transferir para qualquer time no ano que vem, sem custos. Segundo informações da jornalista Nadja Mauad, do Ge, três clubes do Brasil e equipes do mundo árabe têm sondado o jogador recentemente. Os nomes dos clubes não foram divulgados.

+ Atual patrocinador do Athletico negocia naming rights da Arena da Baixada

O empresário de Nikão, Paulo Pitombeira, teve diversas reuniões com o presidente do Athletico Mario Celso Petraglia para falar sobre o futuro do jogador. Segundo informações, o Furacão já fez quatro propostas de renovação, mas Nikão já sinalizou que tem interesse em atuar fora do Brasil, para obter uma boa recomposição financeira. 

Para saber tudo sobre o Athletico, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Em reta final de contrato, a diretoria do Athletico pediu mais uma chance para apresentar um projeto ao jogador. Assim, o clube fará mais uma investida nos próximos dias. Em entrevista, na última segunda-feira (22), quando Nikão recebeu o título de cidadão honorário de Curitiba, Petraglia afirmou que está focado nos próximos jogos e que isso será decidido no futuro apenas. 

– Temos várias partidas importantes pela frente, mais uma disputa importantíssima, que é mais uma final de Copa do Brasil. Vamos deixar isso pra frente. O futuro não nos pertence. 

Já Nikão, mantém o mesmo discurso, que está focado no dia a dia, pensando no seu desempenho dentro de campo e que fora de campo seu empresário vai continuar conduzindo a situação.

– Vou viver um dia de cada vez. Tenho um contrato a ser cumprido e meu empresário está conduzindo com maestria a situação. Já coloquei o que eu penso para diretoria, eles colocaram o que acham.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top