Lutas

Virna Jandiroba credita confrontos entre brasileiras no UFC à ‘ascensão’ do país

Virna Jandiroba
Divulgação/Facebook Oficial UFC Brasil

Neste sábado (30), Virna Jandiroba fará mais um duelo entre brasileiras no UFC, encarando a Amanda Ribas. O confronto entre atletas do mesmo país é até incômodo para alguns lutadores e lutadoras, mas não para a ‘Caracará’.

                 

A baiana deu entrevista ao Combate e afirmou que não vê problemas em encarar uma outra brasileira pelo sonho de lutar pelo cinturão do Ultimate. Ao invés de ir pelo caminho de ver os confrontos entre aletas do Brasil como problemáticos para o desejo de novos e novas campeões (ãs), Jandiroba crê que mostra como o país tem evoluído no esporte.

– Eu acho maravilhoso. Eu busco ver por esse lado. A gente diz, ‘pô, é ruim enfrentar uma brasileira’, é sim, mas pelo menos isso quer dizer que a gente está chegando, isso é muito bom. Eu acho que o MMA no Brasil é pioneiro e tem dado frutos até hoje. E vai dar muito mais. É uma coisa para a gente ficar feliz e ver pelo lado positivo – declarou Virna Jandiroba.

Vindo de vitória sobre Kanako Murata, esta conquistada em junho, a baiana analisou a sua situação e a de Amanda, que vem de derrota para Marina Rodriguez, Para Jandiroba, o gosto da vitória vem ainda mais forte por ter também sido derrotada por uma lutadora brasileira, Mackenzie Dern, antes do triunfo em cima da japonesa.

– A Amanda está vindo de derrota e a gente sabe bem como é. A gente vem nesse modo ‘survival’ ali, então vai ser uma luta boa de se ver. Aquela vitória sobre a Murata foi importante por N motivos. Aquela luta com a Mackenzie mexeu muito comigo emocionalmente. Então, aquela vitória foi realmente um processo de reelaboração e etc. Foi muito importante para mim – afirmou a brasileira, que fez elogios à compatriota.

– Ela é uma atleta completa, apesar da especialidade dela no judô. Ela é uma atleta completa. Eu me sinto agora uma atleta mais completa também, bem mais poderosa. Então, acho que será uma luta boa de se ver, porque estou mais confiante – disse.

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo