Lutas

Colby Covington abre possibilidade para luta contra Khamzat Chimaev

Divulgação/Instagram Oficial UFC

Colby Covington não quer demorar muito a voltar a lutar depois de perder a revanche para Kamaru Usman no UFC 268. Na busca pela reabilitação, o ‘Chaos’ está disposto a aceitar qualquer adversário que veja como valioso pela retomada atrás do cinturão dos meio-médios.

Nesta lista, também aparece a sensação do Ultimate no último ano, o russo Khamzat Chimaev. Em entrevista ao site MMAFighting, o americano apontou seu usual arsenal de provocações contra o ‘Borz’, questionando as habilidades deste perante o nível de repercussão pelas quatro vitórias em quatro lutas deste pela organização.

LEIA TAMBÉM

+ Cris Cyborg dispara contra Kayla Harrison: “Ela fala de mim para fazer o nome dela”

+ Técnico de McGregor atualiza situação sobre retorno de lutador ao UFC

– Ele é uma piada, esse cara precisa lutar contra alguém com valor. Alguém do top-5, do topo do ranking. Não pegar qualquer um. Ele tem o quê. quatro lutas no UFC? A mídia ama criar essas coisas, esses ‘hypes’. Isso é luta cara. Pessoas podem se machucar se forem assim tão depressa. Mas se vocês querem subir um cara depressa demais, fazer ele perder anos da vida e ir para o hospital, não tem problema. A porta está aberta – disse Covington.

– Gosto de bons negócios e de fazer negócios com o UFC. Seria uma honra vencer quem eles querem que eu vença, e se o nome dele for o que colocarem na minha frente, prometo que irei treinar muito e mostrar ao mundo coisas que nunca mostrei. Vocês todos veem como eu melhoro a cada luta, como eu sempre mostro algo novo. Quem quiser lutar comigo, terá que lidar com isto e pode se machucar seriamente – completou.

A ascensão de Chimaev, que pelas vitórias rápidas e pela personalidade de sempre querer lutar e contra qualquer um, fizeram o russo radicado na Suécia ganhar uma legião de fãs pelo mundo e até ser cotado para disputar cinturão. Mas nada do que o ‘Borz’ tem feito comove o ‘Chaos’ o suficiente para dar os devidos créditos pelo que vem fazendo dentro e fora do octógono.

– Acho que a gente aprendeu que, não só na luta, mas no mundo tudo, estamos vivendo uma geração de mimados. É a geração do ‘troféu de participação’. Esse cara não é nada mais do que isso, e se eles querem isso, que seja. Não me importo com o que fazem com outras pessoas. Sei do caminho que tive que percorrer. Nunca tomei atalhos ou trapaceei, dentro ou fora do octógono, e segui pela estrada mais longa. É o que acredito ser o ‘modo americano de verdade’. Ninguém nos dá nada de graça e temos que encarar obstáculos o tempo inteiro. Temos que passar por eles se quisermos o sucesso. Eu foco apenas no meu caminho e não me importo com o dos outros – afirmou Covington.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top