Grêmio

Grêmio necessita poder de fogo; média cai consideravelmente comparado com 2019

Foto: Lucas Uebel/Grêmio
— Continua depois da publicidade —

Mais um empate na conta do Grêmio no Brasileirão. Desta vez, contra o São Paulo no Morumbi, o tricolor imprimou um bom ritmo de jogo, abdicando da posse de bola para fazer uma pressão alta e uma transição rápida para vencer. O problema se encontra no fato de que os gremistas não têm poder de fogo suficiente para atingir melhores marcas.

No início do campeonato, os gremistas eram um dos times que mais finalizava, com uma média de 15 finalizações por jogo. Entretanto, o ataque igual não correspondia. Agora, o Grêmio tem finalizado menos – 11 contra o São Paulo e apenas duas em gol. Porém, o técnico Renato Portaluppi acredita que as coisas irão melhorar.

– O Grêmio vem crescendo a cada partida. Eu acho que sou o treinador que mais elogia meu grupo. O grupo do Grêmio é bom e no momento que está todo mundo voltando, terei mais opções e vai ficar muito forte – disse.

Ineficiência ofensiva preocupa

O tricolor tem atualmente no Brasileirão 17 gols em 16 partidas. Ou seja, uma média de 1,06, muito aquém quando se compara com 2019 que teve a média de 1,6 e o ataque gremista fez mais de 100 gols na temporada.

Entre muitos fatores, tal como a venda de Everton Cebolinha, principal jogador gremista nos últimos anos, a mudança de estilo vem influenciando. O Grêmio hoje é um time mais direto, que muitas vezes abre mão da posse de bola para ser um time mais dinâmico.

Entretanto, com tantas mudanças de peças no elenco, a manutenção do estilo de jogo deveria ser a solução, contando com pilares importantes como Geromel, Maicon e Matheus Henrique. O Grêmio precisa encontrar soluções para ser um time mais agressivo para sonhar com coisas maiores nesta temporada.

Para saber tudo sobre o Grêmio, siga o Esporte News Mundo no Facebook, Twitter e Instagram.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

To Top