América-MG

Lateral-direito formado nas categorias de base do América-MG fala sobre sua adaptação ao profissional

Foto: Mourão Panda/América-MG

Com a tradição de formar atletas de qualidade a partir das categorias de base, o América-MG tem, ao longo da temporada, desenvolvido jogadores que complementam o elenco e podem ajudar bastante na medida em que ganham minutos em campo. Com o lateral-direito Arthur não é diferente, ele pôde atuar em partidas pelo Campeonato Mineiro e também esteve presente na vitória do Coelho sobre o CSA-AL que selou a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil.

Sobre esse aspecto na temporada, relacionado as classificações conquistadas pelo elenco americano, a mais recente pela Copa do Brasil, Arthur ressaltou a importância da união do grupo de jogadores. Além disso, ele explicou que nessa chegada ao nível profissional, as experiências vividas com o grupo tem ajudado bastante na carreira como atleta.

Veja também: Salum fala sobre mudança de perfil na torcida do América-MG e explica o processo de venda da SAF

– A importância da classificação é muito grande, além de mostrar a união do grupo, mostra que o trabalho realizado é muito bom e que está dando resultados. Também é importante continuar nessa pegada e buscar alcançar coisas maiores para a equipe. Pra mim, é muito importante pelo fato de eu estar chegando agora no profissional, e poder vivenciar momentos como esse agrega muito na minha carreira, ajudando em vários fatores, como físicos e mentais.

Veja também: Após classificação sobre CSA perfil do América-MG provoca o Cruzeiro

Sobre a atual temporada, Arthur disse que vem buscando evoluir as suas qualidades e adquirir mais confiança dentro dos jogos e dos treinamentos. Para isso, ele tem contado com o apoio de jogadores mais experientes que atuam ali pelo lado direito. Sobre a rotina do nível profissional, o atleta disse quais, na visão dele, são as principais diferenças em relação às categorias de base.

– Esse ano está sendo muito produtivo, tenho profissionais muito qualificados ao meu lado e que me auxiliam nas minhas dificuldades, como por exemplo, Patric, Eduardo e Cáceres, jogadores da mesma posição que me ajudam muito em vários conceitos. Venho adquirindo mais experiência e aprimorando minhas qualidades. Esse processo de transição é muito importante, me ajuda a ganhar confiança, experiência e ajuda também a melhorar o físico. Por outro lado, entrando na questão das diferenças que estou sentido, posso citar a alta intensidade e a exigência dos treinos, além das partidas que são bem diferentes em relação à base.

Para saber tudo sobre o América-MG, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top