Conmebol Libertadores

Marinho reconhece erro e pede perdão a Ariel Holan após rebeldia ao ser substituído

Marinho
(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Na noite desta terça-feira (13), o Santos conseguiu se classificar para a fase de grupos da Libertadores ao empatar com o San Lorenzo em 2 a 2. Porém, mesmo com a classificação, Marinho ficou irritado com Ariel Holan ao ser substituído da partida aos 22 minutos do segundo tempo, pouco tempo depois de levar um cartão amarelo. Mas tudo foi resolvido rapidamente, e ainda nos vestiários, segundo nota publicada pelo jogador, o atacante pediu perdão ao treinador em frente aos demais jogadores.

Apesar de ter o domínio do resultado durante todo o jogo, muito pela vantagem construída na Argentina, uma atitude de Marinho causou estranheza e foi reprovada por parte dos torcedores. Ao ser substituído o atacante não quis cumprimentar Ariel Holan e saiu irritado rumo aos vestiários. Porém, segundo o próprio jogador publicou em seu Instagram, o caso já está resolvido.

Primeiramente esclarecer que minha atitude foi péssima hoje, após a mudança sai chateado!
Não sou insubstituível, não sou dono do time e estou aqui para ajudar, sempre me dediquei e vesti esse manto com muito orgulho! Jogador nenhum acima do clube ou faltar com respeito ao treinador, porém já pedi perdão ao treinador diante do grupo, nunca tomei atitude assim com treinador nenhum, fica aqui minhas desculpas, justo eu vir aqui e falar! Sou homem, e continuarei dando a vida para esse clube , mesmo querendo ficar em campo e ajudar, respeito e sempre irei respeitar qualquer decisão da comissão técnica! Humildemente vim aqui me desculpar e esclarecer!”, declarou Marinho em seu Instagram após a partida.

Ariel Holan comentou o caso na coletiva de imprensa e também demonstrou que o assunto não causou grandes problemas. “Marinho é um jogador muito importante para o time. É compreensível ele não sair contente do campo”, comentou o argentino.

Quer saber mais sobre o Santos, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top