Futebol Internacional

Rui Costa abre o jogo sobre demissão de Jorge Jesus e cita problemas internos

FOTO: DIVULGAÇÃO / BENFICA

Após quase um mês da demissão do técnico Jorge Jesus, o presidente do Benfica, Rui Costa, resolveu falar abertamente sobre tudo o que motivou a saída do então treinador. O mandatário convocou uma entrevista que foi transmitida ao vivo pelo canal oficial do clube e falou sobre os bastidores de tudo o que o levou a optar pela saída de Jorge Jesus.

Apesar de muitas informações darem conta de que o desentendimento com Pizzi, que acabou sendo afastado do elenco principal, teria sido o fator principal, Rui Costa negou. De acordo com o presidente do Benfica, os resultados recentes que a equipe vinha conseguindo e principalmente o fato de não ter vencido rivais diretos, acabou contando para a saída de Jorge Jesus.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

— Dezembro foi difícil para todos nós. Tínhamos alguns objetivos que foram traçados no começo da temporada e conseguimos atingir, mas dezembro foi muito complicado, mesmo com a vaga nas oitavas da Liga dos Campeões. Perdemos clássicos para nossos maiores rivais. Não foi apenas perder, mas a maneira como perdemos, foi isso que chocou. Isso criou um ambiente desfavorável ao Jorge Jesus e ainda veio a história com o Flamengo. Tudo isto fez com que o ambiente à volta da equipe e do treinador se tornasse realmente pesado — disse Rui Costa.

O presidente do Benfica também falou o motivo que o fez demorar tanto para falar oficialmente sobre a saída de Jorge Jesus. A demissão do treinador foi definida logo após a derrota para o Porto, pela Taça de Portugal, no dia 23 de dezembro. De acordo com Rui Costa, ele não queria atrapalhar ou desviar o foco de todo o processo que vinha sendo feito.

— Quando o Jorge Jesus saiu, todos exigiam alguma justificativa de minha parte, mas eu não quis criar mais atritos. A intenção era deixar a equipe se preparar da melhor maneira possível para enfrentar o Porto. Além disso tínhamos a entrada de outro treinador e não quis desviar o foco. Então eu quero deixar claro que não foram os jogadores que demitiram o treinador e nem o treinador contra os jogadores. Foi uma sequência de episódios que levou a isso. Fizemos tudo de maneira cordial e honesta — garantiu Rui Costa, falando também sobre o desentendimento entre Jesus e Pizzi.

— De fato ouve uma desavença entre jogador e treinador, mas eles sempre se deram bem. Já haviam inclusive trabalhado juntos na passagem anterior do Jorge Jesus no Benfica. O Pizzi é um jogador exemplar e um dos capitães da nossa equipe, mas não há decisões. Nós temos um grupo de jogadores, não um que coordena atitudes. Eu conversava todos os dias com Jorge Jesus, como converso agora todos os dias com Nélson Veríssimo, e cheguei ao ponto, de forma aberta, de lhe perguntar qual o interesse dele. Se era continuar no Benfica ou ir para o Flamengo, como se dizia na imprensa. E a vontade dele era continuar no Benfica, finalizar o contrato, tal como a minha vontade — finalizou Rui Costa.

Desde a saída de Jorge Jesus, o Benfica disputou mais duas partidas, tendo conseguido uma derrota (também para o Porto) e uma vitória, sobre o Paços de Ferreira. A equipe volta a campo no próximo sábado (15), quando vai encarar o Moreirense, em casa, pela 18ª rodada do Campeonato Português.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top