Conmebol Libertadores

Santos enfrenta The Strongest e altitude para buscar mais proximidade de classificação na Libertadores

Santos
Na Vila, o Santos venceu o The Strongest por 5 a 0 (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O Santos enfrentará o The Strongest em partida decisiva nesta terça-feira (18). Se vencer, o Peixe dependerá apenas de si para conseguir uma classificação para as oitavas de final da Libertadores. Porém, o jogo terá uma dificuldade extra, além do adversário: a altitude.

O Estádio Hernando Siles, lar do The Srtongest, fica a uma atitude de 3.637 metros do nível do mar, um dos mais altos do mundo. Fernando Diniz falou sobre o fator e disse que jogos assim chegam a ser desumanos. Nos últimos anos, o Peixe teve que enfrentar essa enorme dificuldade.

Jogar neste tipo de altitude é algo meio desumano. Aproveito a oportunidade para fazer uma crítica severa. É uma vantagem competitiva que não deveria ter. O jogo muda completamente. Seu maior adversário passa a ser a altitude e não tem como se preparar adequadamente para o jogo. A gente tenta diminuir os efeitos nocivos e muito agressivos que a altitude tem”, disse o treinador.

O Santos já sofreu com a altitude em outras oportunidades. Mas na última Libertadores, conseguiu vencer o fator nas oitavas de final. No Estádio Rodrigo Paz Delgado, que fica 2.734m acima do nível do mar, o Alvinegro conseguiu vencer a LDU.

Em Quito, o Santos superou os desfalques e venceu a LDU. Logo aos 16 minutos, os brasileiros abriram o placar. Pará puxou boa jogada pela direita e passou para Soteldo fazer o primeiro do Santos. Mas o empate veio no finalzinho do primeiro tempo. Billy Arce exigiu boa defesa de John, e Julio subiu sozinho para marcar, sob olhares de Diego Pituca, Marinho e Jhon.

Mas aos 18 minutos do segundo tempo, Marinho decidiu a partida. O camisa 11 fez boa jogada na área e foi derrubado. O próprio atacante foi para a cobrança e bateu rasteiro na direita para dar os três pontos ao Santos.

Quer saber mais sobre o Santos? Siga o Esporte News Mundo pelo TwitterFacebook Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top