Lutas

UFC 289: Dominante, Amanda Nunes vence e mantém cinturão dos galos

Divulgação/Instagram Oficial UFC

Neste sábado (10), a cidade de Vancouver (Canadá) foi palco do UFC 289, evento que teve Amanda Nunes como principal estrela, defendendo seu cinturão peso-galo da organização enfrentando a mexicana Irene Aldana.

                 

Foi praticamente sem algum sofrimento a luta para a ‘Leoa’. A brasileira mostrou durante todos os cinco rounds um domínio avassalador contra um rival que pouco se colocava no ataque para reagir. Assim conseguiu com facilidade a vitória e a manutenção do título consigo.

A luta

O combate começou com as duas lutadoras adotando postura paciente, embora Aldana fosse quem tentasse alguma coisa nos primeiros segundos. Amanda chegou a tentar um takedown, este defendido pela mexicana, que logo passaria a se tornar alvo da ofensiva da ‘Leoa’, com bons jabs e chutes.

A brasileira mostrou bom domínio no primeiro round, mas na parte final deste quase passou perigo quando um soco de direita da desafiante incomodou a campeã. No segundo round, o jogo de jabs continuou a ser usado por Amanda para controlar a luta contra uma adversária que pouco buscava o ataque de forma mais contundente.

Para saber tudo sobre o UFC, siga o perfil do Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook. Não se esqueça também se se inscrever no nosso canal no YouTube!

Com bom controle dos golpes, Amanda pontuava e comandava a ação sem se expor muito à trocação franca. Depois de buscar bons socos e chutes na perna da mexicana, a ‘Leoa’ finalmente conseguiu quedar a mexicana, mas sem ir para o chão, preferindo chutar a rival no solo. Apenas num momento de certa pressão, Aldana conseguiu pegar bem com um soco a brasileira, mas sem que isso a complicasse.

A estratégia da campeã era controlar a ação no solo e se manter longe do chão, mas no terceiro round Amanda Nunes começou se soltando mais nas combinações e nos jabs. Aldana pouco atacava e era alvo fácil para uma lutadora que controlava as ações como podia. E finalmente, depois de duas tentativas, derrubou a mexicana e ficou por cima, exercendo o domínio para tentar uma melhor posição e a passagem da guarda.

A mexicana se levantou, mas travada pela brasileira e levando joelhada, foi novamente para o chão. A luta passou a se realizar mais no solo, com as quedas da campeã e a desafiante conseguindo fugir das investidas de Amanda, sem conseguir se impor no ataque. No quarto round, uma boa cotovelada da brasileira abriu um corte na mexicana e quase abriu espaço para uma nova tentativa de queda.

E foram mais algumas quedas tentadas por Amanda, a maioria defendidas pela mexicana, que há sentia os efeitos da cotovelada e não seguia os conselhos do córner, que pedia para que ela fosse mais ofensiva. Quando foi para cima, passou a levar socos e mais socos da brasileira, dominante até aqui em toda a luta.

O quinto round foi a confirmação de uma luta praticamente sem sustos para a campeã. A brasileira tentou o double leg e, com esforço, caiu com a mexicana junto à grade. Aldana procurava se defender mas foi mais uma vez dominada pela ‘Leoa’, que conseguia impor sua posição e bater bem na desafiante. A ‘Leoa’ quase teve a chance de finalizar na parte final da luta, mas se contentou em mostrar os motivos de ser considerada a melhor lutadora do MMA feminino da atualidade e defender mais uma vez o seu cinturão com sucesso no UFC 289.

Após a luta, a brasileira fez um gesto que pode significar o anúncio de sua aposentadoria do MMA. Com os dois cinturões (o do peso-galo e o do peso-pena), ela pediu uma tesoura para cortar suas lutas e as colocou ao lado de seus títulos no chão do octógono. Na entrevista pós-luta declarou que deve parar com o esporte à pedido da família.

– Hoje, se vocês forem ver, empatei com o Anderson Silva em número de defesas de título. É uma boa noite para parar. Minha mãe e minha esposa vivem me pedindo para parar. Eu ainda sou jovem para curtir as coisas que tenho. Tenho uma filha e quero ficar perto da minha família no Brasil – disse a agora ex-lutadora.

+ McGregor nocauteia mascote durante jogo das finais da NBA

Charles do Bronx consegue nocaute espetacular e pede por cinturão

Valendo possivelmente o ‘title shot’ para o peso-leve, Charles do Bronx e Beneil Dariush se enfrentaram no co-main event da noite do UFC 289. O brasileiro iniciou a luta à todo vapor pegando com chute alto, defendido por Dariush, que logo respondeu na trocação até Charles forçar a luta para a grade.

Ali, o ex-campeão tentou forçar uma queda e, ao conseguir, o iraniano ficou por cima e foi para o ground and pound, chegando a defender bem uma tentativa de chave de calcanhar do recordista de finalizações do UFC. A luta continuou acirrada no solo até os dois se levantarem e um novo clinche acontecer.

Quando este se quebrou, um novo chute alto de Charles desta vez pegou em cheio Dariush, que ainda tentou a queda, mas se tornou presa fácil para o brasileiro, que continuou batendo até a intervenção da arbitragem para conseguir a vitória e, após o combate, pedir pela chance de ter sua revanche contra Islam Makhachev em outubro.

Maria Oliveira sofre com rival e é derrotada

A primeira brasileira a participar do UFC 289 foi logo na primeira luta, com Maria Oliveira enfrentando Diana Belbita para tentar se recuperar da derrota na última luta para Vanessa Demopoulos.

A lutadora, que por pouco não se viu fora do evento por estar participando de um reality (‘A Grande Conquista’, da Record), não teve o resultado esperado. A ‘Spider Girl’ chegou a começar bem o duelo, procurando se impor em pé e conseguindo uma queda que quase lhe rendeu a chance da chave de pé. Mas na sequência, Diana conseguiu se recuperar e passou controlar a luta, minando o jogo de chão de Maria.

No último round, a romena seguiu o controle das ações apesar da brasileira ter tido um pouco mais de chances na trocação. Se defendendo bem das quedas e batendo com maior volume, Diana se mostrou melhor e conseguiu o triunfo na decisão dos juízes.

Resultados UFC 289 – Nunes x Aldana

Card principal

Amanda Nunes venceu Irene Aldana por decisão unânime dos juízes – Amanda mantém o cinturão dos galos

Charles do Bronx venceu Beneil Dariush por nocaute técnico (4:10 do R1)

Mike Malott venceu Adam Fugitt por finalização (1:06 do R2)

Dan Ige venceu Nate Landwehr por decisão unânime dos juízes

Marc-André Barriault venceu Eryk Anders por decisão unânime dos juízes

Card preliminar

Nassourdine Imamov e Chris Curtis terminaram em ‘no contest’ por choque entre cabeças (3:04 do R2)

Jasmine Jasudavicius venceu Miranda Maverick por decisão unânime dos juízes

Aiemann Zahabi venceu Aori Qileng por nocaute (1:04 do R1)

Kyle Nelson venceu Blake Bilder por decisão unânime dos juízes

Steve Erceg venceu David Dvorak por decisão unânime dos juízes

Diana Belbita venceu Maria Oliveira por decisão unânime dos juízes

Clique para comentar

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

Para o Topo