Geral

Campeão em 1996, Choco fala com exclusividade ao ENM sobre a Copa do Mundo deste ano: ‘O futsal brasileiro precisa muito desse título’

(DIVULGAÇÃO)

Carlos Roberto Castro da Silva, o “Choco”, ajudou e foi decisivo para o Brasil vencer a Copa do Mundo de Futsal de 1996. Com sua habilidade, força física, velocidade e chute potente, Choco ficou marcado como um dos maiores pivôs da história. Contra a Rússia, na semifinal, Choco anotou três gols. Na final, deixou o seu, um golaço.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

– Sobre o mundial de 96, cara, pra mim foi algo único, né. Isso aí, cada momento que a gente pode, a gente tenta relembrar… os amigos relembrando… Agora com as redes sociais cada um posta um pouquinho e muita gente comenta que aquela seleção foi uma das maiores seleções que o Brasil já teve, a melhor seleção de todos os tempos. E, cara, não é só porque eu estive ali, mas eu acredito que sim, que foi uma das maiores seleções que o Brasil já teve – contou Choco.

Naquela Copa do Mundo de Futsal, em 1996, Choco terminou como vice-artilheiro, com 10 gols, atrás apenas do lendário Manoel Tobias. Ele ainda levou o prêmio de segundo melhor jogador da competição.

– Então, cara, naquele ano foi um dos melhores anos da minha vida, em 96, no futsal. Eu joguei no começo do ano na Enxuta, fui campeão brasileiro invicto. Aí fechou a Enxuta naquele ano, eu fui pra CBF, fui campeão gaúcho, fui goleador da competição, fiz o gol do título. Mas, não por isso, eu participei do primeiro título da CBF, uma equipe que já tinha 20 anos, que sempre batia na trave e nunca tinha sido campeã. Então eu sou um dos caras, junto com muitos outros, que deu o pontapé inicial pra essa grande equipe que é a CBF. E, cara, eu não tinha essa ambição de ganhar algum prêmio, de ser o segundo melhor, o melhor jogador do mundo, o goleador do mundial… Eu queria ser campeão – comentou.

Seleção Brasileira formada, com Choco vestindo a 10 (Divulgação)

– Eu só pensava em ganhar esse título pra mim, pra minha família, pro Brasil, pra Seleção Brasileira, pela confiança que eles depositaram em mim, eu acho que eu fiz aquele papel direitinho. Trabalhei muito: eu acho que foi um dos anos que eu mais trabalhei. Agradeço ao Beto até hoje, quando a gente conversa, pelo excelente trabalho que ele fez comigo, na preparação física. Realmente eu entrei voando naquele Mundial. E recebi meu prêmio porque acho que fiz por merecer – completou o ex-pivô.

CONVOCAÇÃO DA SELEÇÃO: “Eu colocaria mais um jogador nessa lista, que eu acho que é um jogador que vem sendo o melhor jogador da liga nacional por dois anos, que é o Murilo”

Entrando nas análises sobre a Copa do Mundo de Futsal deste ano, que se inicia no mês que vem, Choco comentou sobre a mescla dos 16 atletas convocados: oito atuam no Brasil e oito na Europa. Choco ainda afirmou que gostaria que o pivô Murilo fosse convocado:

– Creio que foi coincidência [oito do Brasil e oito da Europa convocados]. E, cara, os jogadores do Brasil foram convocados por merecimento, né, cara. Eu acho que todos os jogadores que foram convocados foram merecidos. E eu colocaria mais um jogador nessa lista, que eu acho que é um jogador que vem sendo o melhor jogador da liga nacional por dois anos, que é o Murilo. Um finalizador, um excelente jogador. Tu vai perguntar pra mim “Choco, quem tu tiraria dessa lista?” Eu não tiro ninguém! Eu estou dizendo que teria que estar nessa lista o Murilo. Quem sou eu pra dizer qual jogador não deveria ter ido? – indagou Choco.

Murilo em atuação pelo Corinthians (Ulisses Castro/ACBF)

– Eu acho que esses jogadores foram jogadores que fizeram as Eliminatórias, então ele tem plena confiança nesses atletas. Vi que ele não mudou nenhum daqueles jogadores que foram para as Eliminatórias, então o Brasil vem com uma seleção experiente e uma seleção que já sabe o que vai enfrentar pela frente […] Então eu acho que o Brasil está no caminho certo fazendo essa bela pré-temporada aí, e a gente espera que seja o melhor, né, o melhor para o Brasil trazer o título de lá porque o futsal brasileiro precisa muito desse título – completou o ex-jogador de futsal.

QUEM PODE SER DECISIVO: “Eu acho que está bem espalhado, está bem equilibrada a Seleção”

Perguntado sobre um jogador que pode ser decisivo para o Brasil nesta próxima Copa do Mundo de Futsal, Choco preferiu exaltar o conjunto da Seleção Brasileira, mas não deixou de mencionar a joia Leozinho, do Magnus Futsal:

Sinceramente, eu não vejo um jogador que possa ser decisivo. Eu acho que está bem espalhado, está bem equilibrada a Seleção. Claro, nós temos o Leozinho, que é um jogador muito habilidoso; se entrar o jogo dele, vai aparecer, vai abrir muito espaço. Aí eu acho que é um setor que o Brasil está muito bem servido. É um jogador que vem fazendo uma liga nacional excelente. Dois anos melhor jovem jogador do mundo, então é um menino que a gente tem uma esperança muito grande, mas é um menino que já tá com muita experiência. É um jogador já consolidado – afirmou Choco.

Leozinho, 22, em atuação pelo Magnus Futsal (Divulgação/Magnus Futsal)

– Então a gente espera que o Brasil esteja muito bem preparado e que a equipe venha bem. Eu acho que nós temos alguns destaques individuais, mas eu acho que o que vai prevalecer nessa Seleção Brasileira, do Marquinhos Xavier, vai ser o conjunto. Eu acho que o conjunto é muito bom e esse conjunto pode dar o título pra gente – finalizou.

O FUTSAL MUDOU: “O time a ser batido é a Argentina”

Depois que entramos nos anos 2000, a Seleção Brasileira ganhou dois títulos, em cinco disputados. A Argentina venceu a última disputa, com a Rússia em segundo, Irã em terceiro e Portugal em quarto lugar: o Brasil foi eliminado nas oitavas. Choco acha que o futsal acabou ficando mais acirrado e com o nível elevado ao redor do mundo:

Mudou muito. A gente viu a Copa América aí, os times argentinos jogando o fino da bola. Então eu te falo que Argentina, Irã, Espanha, Rússia, são seleções que podem complicar muito a vida do Brasil. Então o Brasil tem que estar muito preparado. E eu acredito assim: se o Brasil estiver muito bem preparado, não tem pra ninguém. A gente sabe que tem grandes jogadores em outras seleções […] A gente não tem mais aquele jogador assim “na hora, o fulano vai tirar o coelho da cartola e vai matar”, então o sistema de jogo mudou muito. Quase todas as equipes jogam nos mesmos padrões, com algumas variações. Então eu acredito que o Brasil tem, claro, sempre a melhor seleção. O Brasil é a seleção a ser batida, mas o Brasil tem que levar esse alerta que hoje nós não somos mais os campeões mundiais, os campeões mundiais são a Argentina – alertou Choco.

Choco com o uniforme do Carlos Barbosa (Divulgação)

Então o time, hoje, a ser batido é a Argentina. O time a ser batido é a Argentina: a Argentina, nas Eliminatórias, ganhou, na final, do Brasil novamente. Então é uma equipe que tem um jogo muito interessante, tem um padrão muito interessante, a maioria dos seus jogadores jogam na Europa. Tem feito encontros maiores que no Brasil. E sempre quando fazem alguns encontros eles ficam bastante tempo treinando no mínimo 15, 20 dias. Então, querendo ou não, a gente sai atrás porque os jogadores lá estão mais tempo acostumados a jogar juntos […] Então o nível está muito alto do futsal, mas também está muito equilibrado – completou o comentarista.

TENSÃO DURANTE O MUNDIAL DE 96: “Pegou fogo na casa da minha mãe, cara, e eu me lembro como se fosse hoje. E eu queria largar, eu queria ir de qualquer jeito”

A Copa do Mundo de Futsal de 1996 não foi só de alegrias para Choco e a Seleção Brasileira. Durante a preparação da equipe, houve um incêndio na casa da mãe do ex-jogador. Choco quase foi embora, mas foi contido por gente importante para ele até hoje:

+ Carreira, escolha pelo Japão, Copa do Mundo e mais: Rafael Henmi fala com exclusividade ao ENM

– E no Mundial, cara, teve uma coisa também que foi muito difícil pra mim […] pegou fogo na casa da minha mãe, cara, e eu me lembro como se fosse hoje. E eu queria largar, eu queria ir de qualquer jeito… E aí o seu Carlinhos Bittencourt, seu Rudi Vieira [supervisores], o Takão [Eustáquio Araújo, técnico], o Beto, que era o preparador físico, conversavam muito comigo. O Beto era um cara que me ajudou muito, tanto na preparação como pra lidar ali no futsal […] Mas o Beto era um cara – não que os outros não viam – que via um potencial muito grande em mim e confiava muito em mim e estendia essa confiança ao Takão – contou Choco.

Equipe da Seleção Brasileira com a medalha e a taça do Mundial de 1996 (Divulgação)

CARREIRA NA COMUNICAÇÃO: “Futuro?! Tem um projeto muito bom aí”

Atualmente, aos 50 anos, Choco trabalha como comentarista na EAV TV e na PW. Lá, ele analisa jogos como os do Campeonato Gaúcho de Futsal e também da Liga Nacional de Futsal. O campeão mundial está feliz com as atividades, tem planos para o futuro, mas relembra problemas que enfrentou em sua passagem como técnico de futsal: “Futuro?! Tem um projeto muito bom aí. É um projeto muito bom para o futsal. Estarei envolvido neste projeto e eu acho que o Brasil vai gostar desse projeto se a coisa andar e der tudo certo.”

– Tive uma passagem como treinador nas equipes, mas por conta desses problemas que muitas equipes enfrentam, que são problemas financeiros, eu decidi deixar de ser treinador até porque, cara, é muito complicado você colocar seu nome na jogada, você contratar jogadores, aqueles jogadores irem para aquele clube por tua confiança… Aí o clube dá um passo maior do que pode, contrata jogadores que no fim ele não vai poder cumprir com aqueles atletas e é muito complicado. Então, eu decidi largar, e em 2018 eu recebi uma proposta do seu Paulo Medeiros – que é o dono da PW Vídeos, da EAV TV – de fazer as transmissões do Campeonato Gaúcho de Futsal […] Graças a Deus o retorno tem sido muito legal, todo mundo gostando, pessoal do futsal nos elogiando… Então isso é gratificante porque a gente sabe que está no caminho certo, principalmente eu. Os outros três são jornalistas, são pessoas da área, né, e eu entro com comentários – ressaltou Choco.

Seleção Brasileira postada, nos anos 90. Choco, agachado, é o terceiro da direita para a esquerda (Divulgação)

PEDRA NO SAPATO DO BRASIL: “Essa Seleção é a Seleção que o Brasil tem que entrar a 150 por hora, não só a 100”

Choco acredita que a Argentina é a seleção a ser batida pelo Brasil e que ela pode ser a pedra no sapato, tirando, claro, a histórica Seleção da Espanha:

– Eu acredito que a Seleção a ser batida é a Argentina e pedra no sapato do Brasil também a Argentina, porque o Brasil vem tendo confrontos com a Argentina e confrontos muito difíceis, e esse Mundial não vai ser diferente. Então, eu acredito que essa Seleção é a Seleção que o Brasil tem que entrar a 150 por hora, não só a 100 – cravou Carlos Roberto Castro da Silva, o “Choco”.

+ Ao ENM, ala Arthur fala sobre expectativas para o Mundial de Futsal e a responsabilidade de usar a camisa 12

A Seleção Brasileira estreia na Copa do Mundo de Futsal deste ano no dia 13 de setembro, contra o Vietnã, às 11h (Brasília). O Brasil está no Grupo D, com Panamá e República Tcheca, além de Vietnã.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top