Campeonato Brasileiro - Série B

Fábio traça paralelo entre carreira e momento do Cruzeiro e comenta chances de acesso: ‘Enquanto tiver possibilidade, vamos lutar’

Fábio Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O ídolo e goleiro do Cruzeiro, Fábio, que está no clube há cerca de 15 anos, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira (22) e aproveitou o momento para traçar um paralelo entre a sua trajetória vitoriosa e longeva pelo clube com o atual momento da Raposa – disputa de Série B, risco de não alcançar o acesso e crise financeira. Para ele, tudo o que viveu no time serviu como base para suportar e ter forças para superar a atual situação. 

Fábio, ao longo de todos esses anos defendendo a camisa celeste, conquistou o posto de atleta que mais defendeu o Cruzeiro. Ao todo, foram 963 partidas disputadas. Além disso, o goleiro cruzeirense conquistou dois Campeonatos Brasileiros (2013 e 2014), três Copas do Brasil (2000, 2017 e 2018) e sete Campeonatos Mineiros (2006, 2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019). 

Veja também: Cruzeiro tem quarta melhor campanha do segundo turno da Série B, mas tem menos de 1% de chance de acesso

– Deus me preparou ao longo dessa carreira com momentos difíceis para vivenciar esse maior momento de dificuldade, tanto na minha carreira quanto na minha história dentro do Cruzeiro. Eu vivi muitas coisas que forjaram o meu caráter e meu profissionalismo, e Deus permitiu que eu passasse isso nesses últimos anos, porque tinha ciência que eu suportaria, mesmo dentro de todas as adversidades, mesmo dentro de toda a angústia que eu vivencio todos os dias pela preocupação de sempre querer o melhor para o Cruzeiro e para os funcionários, aliado ao torcedor que, aonde eu vou, sempre passa o carinho, a força, que é isso que me move a cada dia. Deus me direcionando, me fortalecendo, aliado a força do torcedor, reconhecendo a minha identificação com o Cruzeiro. Então, Deus me preparou ao longo da minha carreira e principalmente da minha trajetória aqui no Cruzeiro para vivenciar esse momento. A gente não entende, mas confia que Deus tem sempre o melhor. Eu não entendo algumas coisas, mas confio que Deus está na direção, e é ele que vai me fortalecer e me dá a vitória no momento que ele achar que é devido, porque ele é soberano. 

E, falando do momento atual do Cruzeiro, Fábio também falou sobre as possibilidades de acesso do clube. No momento, a Raposa precisa de uma campanha impecável, vencendo 11 dos 13 jogos que ainda restam pela frente. O ídolo celeste, porém, não deixa de acreditar. 

– Enquanto tiver pontuação, a dedicação e luta, independente das adversidades que vivemos no dia a dia, não vão faltar. Enquanto eu estiver aqui, o professor Vanderlei também trouxe essa motivação de torcedor e todos os jogadores estão com esse empenho em buscar essa pontuação dentro dos planejamentos que o professor passou para a nossa equipe. E no dia a dia, independente das adversidades, a gente está lutando contra tudo, contra todos, se dedicando ao máximo para honrar essa camisa do Cruzeiro, para buscar as vitórias necessárias com todas as forças. E o nosso pensamento é que enquanto tiver a pontuação, a gente tem a condição de dar essa alegria para o nosso torcedor e é dessa forma que a gente vai caminhar. E esse é o único foco. Enquanto tiver possibilidade, a gente vai lutar pela Série A até o final dentro de campo. 

A CHEGADA DE LUXA… 

Fábio destacou também a importância de Vanderlei Luxemburgo para o elenco e para o Cruzeiro. Segundo ele, inclusive, a experiência do treinador tem parte significativa na evolução cruzeirense em campo, o que vem ocorrendo desde que o professor assumiu o comando estrelado.

– A experiência do Vanderlei foi crucial para essa evolução. Infelizmente, ele pegou a equipe no final do primeiro turno e tendo que fazer de tudo em pouco tempo de treinamento, para montar uma equipe consistente dentro dos jogos. Mas, sim, essa experiência e com a motivação que ele nos passa, pela vida e pela carreira dele, foram importantes. E é nisso que eu acredito, nessa experiência. Uma equipe gigantesca igual o Cruzeiro não tem como ficar fazendo experiências, a gente tem que ter um comandante ativo, que já vivenciou várias situações, para comandar esse gigante que é o Cruzeiro. Então, a chegada dele foi fundamental para isso, aliada à dedicação dos atletas que estão aqui, independentemente das adversidades vividas nos bastidores no dia a dia. Eles se entregam, se doam ao máximo, com todas as forças, para honrar essa camisa. 

Fábio completa 41 anos no fim deste mês e também falou sobre a possibilidade de aposentadoria. Confira em: Fábio fala sobre renovação com Cruzeiro: ‘Os dirigentes confiam em mim’

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top