Campeonato Brasileiro - Série B

Luxemburgo critica arbitragem de jogo do Cruzeiro e declara: ‘Vamos ter que buscar esse resultado em outro lugar’

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O Cruzeiro empatou com o Operário, em 1 a 1, na Arena do Jacaré, pela Série B do Campeonato Brasileiro. E, além do gol celeste anulado no fim da partida, as reclamações para com a arbitragem enchem uma lista, conforme o técnico da Raposa, Vanderlei Luxemburgo, em entrevista coletiva após o fim da partida. 

Segundo Luxemburgo, houve desrespeito do quarto árbitro para com ele, impunidade para um atleta do Operário e um pênalti marcado depois de muito tempo. Para o treinador, o prejuízo foi grande. 

– O duro é você correr atrás do prejuízo. O pênalti que ele deu a bola já estava lá na frente, ele veio aqui atrás vê o lance, o VAR chamou a responsabilidade dele e ele deu o pênalti. Buscamos, buscamos, buscamos, tivemos chances. Só para se ter uma ideia, o número 5 fez três faltas seguidas no segundo tempo e estava com cartão amarelo no primeiro tempo, e falta para cartão amarelo, ele não deu e em seguida o treinador deles tirou, inteligentemente, o jogador porque ele ia ser expulso de campo. E o árbitro tinha que esperar o que para tirar o jogador de campo se ele já estava com cartão amarelo e as faltas eram para cartão amarelo? Então, você vê o tanto de prejuízo que ele trouxe para a gente dentro de campo. 

Veja também: Marcelo Moreno reclama da arbitragem após gol anulado do Cruzeiro: ‘Não vai ser assim que vamos subir’

Segundo Vanderlei Luxemburgo, o lance do gol anulado foi errôneo, já que, dado o lance ser inconclusivo, a decisão deveria ser a do árbitro de campo e não que ele revesse imagens. Justamente pelas reclamações, Luxa, como é chamado pela torcida, declarou que o clube terá que buscar os resultados de outra forma. 

– Foi um jogo completamente complicado. Começou com o quarto árbitro, onde eu só falei para ele que o jogador do Operário estava a menos de sete metros no escanteio e a bola até bateu nele, e ele veio falar comigo com o dedo: “já vai começar a perturbar”. Eu disse que não, que o jogador do Operário estava avançando. E ele falou que eu estava tumultuado, e colocou o dedo na minha cara. Nem ele e nem ninguém pode fazer um negócio dele. Tem que ter respeito. Acho que fizemos um jogo contra uma equipe que marcou bastante, fomos persistentes, ficamos o tempo todo buscando o resultado, deixamos a equipe mais vulnerável para buscar o resultado e os jogadores estão de parabéns, porque lutaram até o fim. Agora, é complicado porque esse juiz que apitou o jogo aqui é Fifa VAR, de Santa Catarina, e eu não sei se o árbitro de vídeo também é de Santa Catarina, não tenho certeza. Se ele é Fifa VAR, ele sabe como funciona. Se o lance é inconclusivo, o árbitro tem que chamar a responsabilidade para ele. Não tinha mais porquê consultar árbitro de vídeo. Agora, se o VAR deu o pênalti está mais errado ainda, anulou o gol está mais errado ainda, porque ele não pode participar se o lance é inconclusivo. Se ele é Fifa VAR, ele sabe como funciona. Vamos ter que buscar esse resultado em outro lugar. 

O SENTIMENTO DA EXPERIÊNCIA… 

Luxemburgo comentou também a respeito do árbitro ter sido punido anteriormente. Ele destacou que, dada a sua experiência, já sentia o que aconteceria antes mesmo do jogo começar, além de revelar que ele mesmo havia reclamado da arbitragem escalada antes mesmo do apito soar. 

Veja também: Presidente do Cruzeiro contesta gol anulado: ‘Absurdo o que aconteceu’

– Eu manifestei isso antes de começar o jogo, porque havia sido suspenso. Um jogo de duas equipes que podem encostar na parte de cima da tabela e de Santa Catarina, o VAR também. Então, acho que vale mais o pessoal lá da arbitragem ter mais sensibilidade para escalar o árbitro. Se o cara vem de punição, vai fazer o quê? Eu não posso fazer nada, mas se a televisão está falando que o lance é inconclusivo, e parece que houve uma mudança, que se o jogador que participou do lance que é inconclusivo fizesse o gol até poderia ser anulado, mas se ele passa a bola para alguém, é gol. E além disso o prejuízo né? Porque me expulsou, expulsou o Maurício, prejudica para frente. Mas, eu estou no futebol há bastante tempo para entender antes do jogo o que pode acontecer –, declarou Luxemburgo. 

NAS MÃOS DA DIRETORIA! 

Por fim, o técnico do Cruzeiro deixou a responsabilidade de resolver a situação com a diretoria do clube. Segundo Luxemburgo, cabe a ele somente reclamar e comentar sobre. 

– Para ser bem claro, acho que cabe a diretoria tomar qualquer tipo de decisão com respeito à arbitragem. Eu já falei o que eu tinha para falar. Quem tem que tomar decisão são os dirigentes do clube, eles que tem que ir na CBF e mandar pegar o tape e ver o que aconteceu para saber se o árbitro foi bem ou foi mal. Agora, não sou eu que tem que ficar falando isso aí. Cabe aos dirigentes a fazer algo sobre isso. 

O Cruzeiro, de Vanderlei Luxemburgo, volta a campo no próximo domingo (19), diante do Vasco, às 16h, no Rio de Janeiro.  

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top