Ponte Preta

Moreno cita trabalho emocional na Ponte Preta: ‘Cobramos no vestiário’

Moreno cita trabalho emocional na Ponte Preta: 'Cobramos no vestiário'
Crédito: Diego Almeida / AA Ponte Preta

Fábio Moreno precisou trabalhar o aspecto psicológico dos jogadores da Ponte Preta após eliminação precoce diante do Criciúma na Copa do Brasil.

Após vitória contundente em cima do Santos, treinador comentou a respeito da dinâmica feita com o elenco para recuperar a confiança nesta retomada do Campeonato Paulista.

+ Red Bull Bragantino x Ponte Preta: prováveis escalações, desfalques, onde assistir, opiniões e palpites

“Eu procuro fazer uma análise dos atletas que a gente possui e da necessidade que eles têm emocional. Tem grupos precisam de dura. Tem grupos que precisam de mais atenção. Eu entendi devido à cobrança que sofreamos e, internamente, nos cobramos muito no vestiário e, principalmente na nossa apresentação. Nós revimos tudo o que fizemos na partida do Criciúma ou o que não fizemos, no caso. Então a cobrança foi feita”, admitiu, em coletiva.

“A partir do momento em que eu terminei a minha conversa com eles, eu falei para eles que aquele jogo tinha ficado para trás e que a gente ia fazer um novo começo. Eu acreditava neles. Sabíamos da capacidade desses atletas. Entendemos que, nem quando faz uma partida muito boa, está tudo muito bem e nem quando fazemos uma partida ruim, como foi contra o Criciúma, estava tudo ruim. É preciso dar confiança, ter continuidade no trabalho e ter convicção naquilo que você faz para que o trabalho surja. Senão você fica ao sabor do vento, e isso a história do futebol prova que não é produtivo para ninguém”, emendou.

FILOSOFIA

Moreno também explicou a estratégia adotada de contra atacar o Santos e explorar a velocidade dos extremas em detrimento do controle da posse de bola no Moisés Lucarelli.

“Na verdade, a gente trabalha sempre dando coragem para os atletas e sempre buscando fazer um jogo construtivo. Na circunstância do jogo depois que você faz 3 a 0, jogando em casa e contra um adversário que tem uma intensidade ofensiva muito forte, o jogo se desenhou dessa forma para que a gente baixasse as linhas. Isso a gente fez muito bem. A gente já vinha fazendo muito bem. Taticamente, a equipe ficou muito organizada, ficou justa e próxima, buscando sempre a marcação. Quando a gente retomava a bola, um ataque rápido”, afirmou o técnico.

“Hoje, a gente conta com o Niltinho, que é muito rápido. O Moisés é muito rápido. O (João) Veras está evoluindo e está conseguindo ganhar as jogadas junto com o Camilo. Então a gente sabe que vai ter jogos em que vamos propor, como foram os outros. A gente teve aqui, contra o Santo André, quase 80% de posse de bola. Então a gente trabalha das duas maneiras. A partida que vai desenhando e a gente vai se adaptando a ela”, finalizou.

Com sete pontos e na terceira colocação do Grupo B, a Ponte Preta volta a campo pelo Campeonato Paulista nesta segunda-feira, 19 de abril, diante do Red Bull Bragantino, a partir das 20h, no Estádio Nabi Abi Chedid.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top